Bauru

Regional

Justiça aceita denúncia contra padre que atropelou suspeito

Religioso tornou-se réu em ação penal por tentativa de homicídio

por Lilian Grasiela

23/06/2022 - 05h00

Santa Cruz do Rio Pardo - A Justiça de Santa Cruz do Rio Pardo aceitou, nesta quarta-feira (22), a denúncia oferecida pelo Ministério Público (MP), por tentativa de homicídio qualificado, contra o padre Gustavo Trindade dos Santos, apontado por investigações como o condutor do veículo que atropelou, no último dia 7 de maio, um homem de 40 anos suspeito de furtar roupas da casa paroquial da Igreja de São Sebastião. Com isso, o religioso tornou-se réu em uma ação penal e poderá ser julgado pelo Tribunal do Júri.

Nos autos, o juiz Pedro de Castro e Sousa afirma "que a denúncia oferecida contém a exposição do fato criminoso, com todas as suas circunstâncias, havendo, ainda, lastro probatório mínimo a demonstrar a materialidade delitiva e indícios suficientes de autoria, tendo observado, assim, todos os requisitos legais exigidos pelo artigo 41 do Código de Processo Penal".

Segundo o magistrado, a constatação da materialidade e os indícios de autoria decorrem de boletins de ocorrência, laudos periciais, fotografias, relatórios médicos do estado da vítima, relatório de investigação e laudo de imagens de circuitos de segurança, entre outros documentos, além de declarações e depoimentos colhidos pela autoridade policial durante o inquérito.

Na denúncia por tentativa de homicídio qualificado, o promotor de Justiça Reginaldo Garcia citou, como agravante, o fato de a vítima não ter conseguido se defender do atropelamento e também pediu reparação por danos morais. Agora, a partir da citação, a defesa do padre terá prazo de dez dias para responder por escrito à acusação e apresentar sua defesa preliminar.

RELEMBRE O CASO

Conforme divulgado pelo JC, no dia 7 de maio, por volta das 20h40, uma câmera de segurança na avenida Tiradentes, Centro de Santa Cruz do Rio Pardo, registrou o momento em que carro da Diocese de Ourinhos perseguiu e atropelou, na calçada, Angelo Marcos dos Santos Nogueira, que havia furtado roupas da igreja. Após o atropelamento, o condutor, identificado como Gustavo Trindade dos Santos, pároco da Paróquia de São Sebastião, engatou ré e deixou o local sem prestar socorro à vítima. Ela ficou internada em estado grave por vários dias, teve alta, mas apresenta sequelas. O padre foi afastado de suas atividades religiosas. O inquérito instaurado para apurar o caso foi concluído no fim de maio, sem o depoimento do religioso, e ele foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado.

Ler matéria completa

×