Bauru e grande região

Rural

Produção agropecuária é de R$ 504,4 bi

17/06/2016 - 09h00

O Valor Bruto da Produção (VBP) da agropecuária deste ano está estimado em R$ 504,4 bilhões, 3,3% menor do que o de 2015 (R$ 521,9 bilhões). Os dados foram divulgados nesta semana pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O VBP corresponde ao faturamento dos principais produtos agropecuários, como grãos, carnes, café e cacau. Apesar da redução, a soja isoladamente apresenta alta de 0,6%, com o maior VBP entre todos os produtos agropecuários: R$ 113,1 bilhões.

As lavouras correspondem a R$ 327,5 bilhões do VBP total e a pecuária, R$ 176,9 bilhões. Entre as lavouras, além da soja, outros destaques são a cana de açúcar (R$ 51,5 bilhões) e o milho (R$ 42,8 bilhões). Na pecuária, a carne bovina representa R$ 75,1 bilhões, seguida pela carne de frango (R$ 50,4 bilhões) e pelo leite (R$ 25,6 bilhões).

Segundo a Coordenação Geral de Estudos e Análises da SPA, o principal motivo da redução do VBP está na queda da produção e da produtividade de culturas relevantes, como arroz, feijão, milho e soja, como apontam os levantamentos de safra referentes ao mês de maio. 

As estimativas indicam também uma redução na produção de frutas, que registrou uma das maiores médias de preço entre os grupos de produtos que compõem o IPCA-15 do mês de maio.

Entre os produtos que apresentaram faturamento mais baixo este ano, estão o arroz (-14,1%), fumo (-26,8%), laranja (-31,4%), mandioca (-14,8%), tomate (-49,1%) e uva (-17,8%).

Por outro lado, vários produtos tiveram alta no VBP. É o caso da banana (25,7%), batata-inglesa (17,9%), cacau (14,2 %), café (14,1%), trigo (26,1%) e maçã (11,5%), que tiveram aumento de preço em relação ao ano passado. 

Por região

O maior valor bruto da produção agropecuária é da região Sul (R$ 147,8 bilhões), seguida do Centro-Oeste (R$ 139,4 bilhões), Sudeste (R$ 134,7 bilhões), Nordeste (R$ 44,9 bilhões) e Norte (R$ 29,5 bilhões). Entre os Estados, as maiores reduções no VBP são observadas no Maranhão, Piauí, Bahia e Tocantins, principalmente por causa da seca que prejudicou lavouras de milho e soja.

Salvou

Vale lembrar que, na edição desta quinta-feira (16), o JC noticiou que a agricultura e a pecuária “salvaram” a economia de Bauru e região nos últimos quatro trimestres, de acordo com levantamento da Fundação Seade. Os resultados mostram que os 39 municípios da Região Administrativa de Bauru tiveram alta no Produto Interno Bruto (PIB) de 2,7% no 1.º trimestre de 2016, na comparação com o último trimestre de 2015. 

Entretanto, no acumulado dos quatro trimestres (período de abril de 2015 a março de 2016), em comparação também aos doze meses anteriores (abril de 2014 a março de 2015), a região de Bauru apresentou queda de 6,2%. O resultado negativo foi puxado principalmente pela retração no setor industrial e de serviços. A agropecuária foi o único segmento que cresceu nesse mesmo período: 6,5%.