Bauru e grande região

Rural

Lima Verde ajuda Brasil a se manter no comando de órgão do café na ONU

Presidente do Sindicato Rural de Bauru participou das reuniões em Londres que definiu nome do diretor-executivo da Organização Internacional do Café

por Tisa Moraes

24/03/2017 - 07h00

Quioshi Goto
Em Londres, Lima Verde teve participação ativa na definição

A Organização Internacional do Café (OIC) tem um novo comandante e a escolha teve o apoio e trabalho de um bauruense. Presidente do Sindicato Rural de Bauru, Maurício Lima Verde também é conselho privativo da entidade, representante dos produtores.

Ao longo da última semana, ele participou das reuniões que levaram à escolha do nome de José Dauster Sette para o cargo de diretor-executivo da organização. O Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café e o segundo maior consumidor do produto, atrás apenas dos EUA, mesmo sem ter explorado em sua totalidade a potência deste mercado.

Sette assume, até 2022, a função no lugar do também brasileiro Robério Oliveira da Silva, que morreu de infarto em dezembro do ano passado. De 2011 a 2016, Silva esteve à frente da OIC, a principal agência intergovernamental para o café, vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU) e integrada por 78 países produtores e consumidores.

Segundo o Itamaraty, nove candidatos se apresentaram para o cargo. Ao longo desta última e decisiva semana, reuniões foram realizadas na sede da organização, em Londres, Inglaterra, com a definição, por aclamação, do nome do novo diretor-executivo na sexta.

"O Itamaraty e os representantes dos setor privado (são três no Brasil - um deles Lima Verde) trabalharam intensamente até a decisão final, que contou com diversos países interferindo em favor do Brasil. É um resultado que ganha maior relevância diante da situação política e econômica do País, que está desmoralizado no âmbito internacional", frisa.

A eleição também foi comemorada pelo presidente Michel Temer, por meio do Twitter, e pelo Ministério das Relações Exteriores, que divulgou nota ressaltando o trabalho "com afinco" realizado pelas autoridades brasileiras. "O Temer também ligou pessoalmente para o Sette, o que nos deixou muito satisfeitos", completa Lima Verde.

COMMODITY

Segundo o presidente do Sindicato Rural de Bauru, cada brasileiro consome, em média, de 20 a 25 xícaras de café por ano. Ainda que seja o maior produtor de café do mundo e conte com grandes empresas processadoras de grãos, o Brasil ainda explora pouco o mercado de redes de cafeterias, que servem os cafés prontos - em suas infinitas variedades - aos consumidores.

"Na Inglaterra, em cada esquina tem uma cafeteria. No Brasil, é um nicho que ainda pode ser explorado, até porque o consumo está aumentando. Os mais jovens, principalmente, já não querem tomar o cafezinho tradicional e muitas vezes recorrem às redes que vêm de fora do País", pontua.

Lima Verde salienta, contudo, que o momento político e econômico que o País atravessa não deve estimular investimentos de empresários brasileiros neste sentido no curto prazo.