Bauru

Saúde

Tem como morrer de medo de verdade?

Especialista afirma que em certas condições é possível literalmente morrer de medo

por Rafaela Monteiro, estágio sob supervisão

05/11/2021 - 11h36

Pixabay

Sob razões muito específicas é possível uma pessoa morrer de medo

Já parou para pensar se é realmente possível morrer de medo ou de susto? Falar sobre mortes por estas causas se tornaram até expressões de vocabulário, mas uma matéria do Canaltech esclarece que o risco é, sim, real.

Sob razões muito específicas, é possível uma pessoa morrer de medo. Segundo o neurologista e diretor do programa de Neurociência Interdisciplinar do Brigham and Women’s Hospital (EUA), Martin Samuels, há basicamente duas maneiras para acontecer: pelo alto nível de adrenalina no cérebro e por uma cardiomiopatia de Takotsubo.

A primeira se refere a um risco  principalmente à pessoas hipertensas, fumantes e com problemas cardíacos. Alguém nessas condições, ao sofrer um susto ou passar por uma situação de medo, ao ter um influxo repentino de adrenalina devido ao fato, pode ter uma  fibrilação ventricular (quando o coração estremece ao invés de bater e o sangue não flui de volta para o corpo). Tal ocorrência por si só é fatal, e aliada ao aumento da liberação de cálcio no coração (o que faz com que o músculo cardíaco se contraia fortemente, sem conseguir relaxar), é ainda mais perigosa, por levar à inconsciência, informa a matéria do Canaltech.

Já a segunda delas, a cardiomiopatia de Takotsubo, é um choque inesperado causador da insuficiência cardíaca. Como explica o Canaltech, apesar de ser uma condição rara, ela atinge qualquer pessoa, que ao ter contato com adrenalina, faz o coração parar de bombear sangue corretamente. Ainda são necessários estudos para entender tal causa de morte completamente. O que se sabe até então é que é possível morrer de medo ou susto.

Ler matéria completa

×