Bauru

Saúde

Sofre ao ficar longe do celular? Talvez seja nomofobia

Entenda em quais situações o uso demasiado da tecnologia pode ser um sinal do transtorno

11/11/2021 - 10h26

Pixabay

Determinar horários de iniciar e terminar home office é uma maneira de lidar com o vício no celular

Você sabia que sentir ansiedade ao ficar longe do celular é um sintoma da nomofobia? Do grego "fobos", e do inglês moderno (no mobile), uma matéria veiculada no portal UOL explica que a doença se trata de um medo patológico de ficar longe do celular.

No dia 4 de outubro, as redes sociais (Facebook, Instagram e WhatsApp) pertencentes à Meta, empresa de Mark Zuckerberg, sofreram um "apagão" de 7 horas, e pessoas relataram sofrer com a ausência. Por conta da pandemia especialistas alertam sobre as consequências do alto grau de dependência da tecnologia, e essa "queda" das redes serviram de alerta.

Pelo fato de o mundo ter sido obrigado a realizar esse "detox" do celular, sinais da patologia como ansiedade, angústia e até depressão, puderam ser notados."A cada cem pessoas, cerca de 15 são consideradas nomofóbicas, com transtornos associados", explica a psicóloga e uma das organizadoras do livro "Nomofobia - Dependência do Computador, Internet, Redes Sociais? Dependência do Telefone Celular?", Anna Lucia Spear King, ao UOL.

Algumas mudanças de hábito indicadas para lidar de maneira mais saudável com a tecnologia seria estimular um horário para iniciar e terminar o home office, evitar dormir com o celular do lado e mexer no aparelho durante as refeições. Contudo, ao notar os sintomas explicitados, como todo transtorno, o ideal é procurar ajuda psicológica e psiquiátrica, informa o UOL.

Ler matéria completa

×