Bauru e grande região

Articulistas

Importância da taxa básica de juros

por Reinaldo Cafeo

08/08/2019 - 06h00

O Banco Central brasileiro optou por rebaixar a taxa de juros na última reunião do Comitê de Política Monetária, o Copom. A taxa que era de 6,5% ao ano caiu para 6,0% ao ano. Afinal, qual é a importância da taxa básica de juros na economia?

A taxa básica, conhecida como Selic, é a referência para a formação das demais taxas de juros no mercado. Os investidores (bancos, pessoas físicas, empresas, etc.) podem adquirir títulos públicos tendo como remuneração anual a taxa Selic. Assim, uma instituição financeira, na pior das hipóteses, poderá investir, em níveis atuais, em títulos que rendem os 6% ao ano.

Foi, portanto, estabelecida uma referência: 6% ao ano. Para captar recursos junto ao público a tendência é que remunerem o investidor em menos de 6% ao ano. Já na hora de emprestar recursos, desejarão mais do que este patamar.

Caso a taxa básica fosse de 40% ao ano, este seria o referencial. A captação seria pouco menos do que os 40% e para quem buscasse recursos emprestados pagaria mais do que este patamar. Para definir o nível de juros básico é preciso considerar algumas variáveis, sendo as principais o índice de inflação e taxa de crescimento da economia. A inflação é um importante indicador à medida que esta, uma vez controlada em níveis baixos, eventual redução da taxa de juros não afetará os preços da economia (o aumento da demanda não provocará aumento de preços). Também inflação baixa permite ganho real, isto é, acima da inflação, mesmo com juros nominais (juros praticados nas aplicações) mais baixos. Como a taxa de inflação no Brasil está abaixo dos 4% ao ano, abriu espaço para promover queda na taxa básica de juros (e ainda tem espaço para novas reduções).

O nível de crescimento economia é outro indicador importante. Com baixas vendas a economia patina e provoca desemprego. Juros menores desestimulam os poupadores e estimulam aqueles que querem antecipar compras e não possuem recursos. A variável consumo pode ajudar na retomada do crescimento da economia.

Resumindo: a inflação está controlada e o nível de atividade econômica está baixo, assim, reduzir a taxa de juros vai ao encontro de estimular o mercado consumidor e com isso ajudar a roda da economia girar. Esta queda, somada a liberação de recursos do depósito compulsório, mais os recursos tanto do FGTS como do PIS/PASEP, o cadastro positivo e ainda o andamento das reformas estruturantes, podem permitir a retomada do crescimento econômico. Os juros exercem papel crucial na economia.

Ler matéria completa