Bauru e grande região

Articulistas

A história não pode parar

por Luciano Dias Pires

11/08/2019 - 06h00

Ao apreciar na edição do último dia 28 de julho do JC, com satisfação nos deparamos, já na primeira página, com a notícia sobre a história de Bauru contada no Audiotur, uma realização inédita e que veio ao encontro aos nossos anseios quanto à necessidade de que essa narração não pode parar. Por diversas vezes, em diferentes artigos e reportagens a respeito dos primeiros tempos de Bauru, sempre falamos sobre a necessidade da presença de novos historiadores em torno desse trabalho.

Foi, portanto, com muito "apetite" que devoramos a leitura de toda aquela matéria jornalística e então pudemos constatar que a pesquisa e a necessária divulgação dos históricos da nossa Bauru, desde meados da década de 1900, não vão sofrer qualquer tipo de interrupção, pois agora teremos a participação da "jovem guarda" que, por meio dos modernos meios de comunicação, poderão dar continuidade a esse trabalho iniciado há muito tempo por antigos pesquisadores.

Assim, a partir de Breno Pinheiro, que em 1928 escreveu um livro em quatro idiomas, sobre a caminhada de Bauru através do tempo, seguido depois por José Fernandes, do Correio da Noroeste, Carlos Fernandes de Paiva, aquele que também defendeu a ideia de se construir um teatro para Bauru, João Correia das Neves, autor de vários livros contendo aspectos históricos, inclusive sobre a E.F. Noroeste do Brasil, e, posteriormente, com incontáveis méritos, Gabriel Ruiz Pelegrina, descendente de pioneiros, coadjuvado brilhantemente por Irineu de Azevedo Bastos, filho do prefeito Irineu Bastos e autor de diversas publicações onde resgatou, com fidelidade, passagens heroicas dos desbravadores.

Neste retrospecto, é desnecessário citar o Bauru Ilustrado (BI), publicação esta lançada por nós, a qual vem se dedicando à propagação da história da nossa sempre Capital da Terra Branca, bem como à formação de um acervo de mais de 20.000 fotografias, algumas do início do século XX, que surgem como verdadeiros documentos. Nessa campanha de 44 anos, a circulação do BI, publicação inédita na imprensa nacional, tem sido um ponto de referência para que as imagens do passado não se percam.

Como o Jornal da Cidade salientou no rodapé da sua edição de 28 de julho de 2019, justamente alguns dias antes de mais um aniversário da cidade, "parte da história da cidade está disponível a qualquer pessoa, por meio do Audiotur Bauru - Vozes do Tempo. O trabalho em áudio, pode ser baixado gratuitamente no site do projeto pioneiro".

Estão eles dando continuidade ao nosso trabalho quase artesanal que, por intermédio de diferentes publicações, como folhetos, reportagens, gravações, documentários feitos nos antigos sistemas de gravações e desde 1974 por meio do Bauru Ilustrado.

Ler matéria completa