Bauru e grande região

Articulistas

O que faz um bom professor?

por Milena Fiuza

16/10/2019 - 06h00

O que define um bom professor? A resposta a essa pergunta depende fundamentalmente do tipo de aluno que se deseja formar. Tão importante quanto encontrar um corpo docente que domina temas acadêmicos é ter profissionais capazes de alimentar um rol de competências imprescindíveis, a fim de concretizar a existência da escola: a aprendizagem. O desempenho do aluno, sem dúvida, deve ser considerado como resultante da diligência exercida por um professor no processo de ensino. Não há dúvidas que a eficácia dos professores se correlaciona ao desempenho dos alunos, ou seja, a configuração e qualidade da atuação docente podem ser averiguadas por meio das realizações de seus alunos. Na tentativo de entender o que seja a competência do professor, é elementar examinar o "ensino" com mais detalhe, percebido não somente como atividades de instrução e experiências, e sim, como a ação deliberada que acende uma atmosfera favorável à aprendizagem.

Antes de conhecer o significado da competência do professor, ou até mesmo elencar um rol, é essencial conhecer (pelo menos um pouco) sobre competência. Competência é um termo amplamente utilizado em diversos contextos, portanto, definida de diferentes formas. Na busca do bom professor, há contextos que exigem competências específicas, que tenham relação direta com o projeto pedagógico de cada escola. A competência contida em uma ementa deve ser suficientemente abrangente e nítida para que possa ser empregada na seleção de professores que evidenciam a combinação entre elas. Por serem desempenhadas em atividades cotidianas, as competências são observáveis e demonstráveis - portanto, mensuráveis. Para a mensuração segura, não é necessária a exigência de que todas as competências de um professor tenham a mesma extensão do conhecimento, habilidade e atitude. O legítimo acompanhamento de desempenho das competências docentes não deposita toda confiança unicamente em escalas de classificação propensas à polarização - e sim, ressalta o equilíbrio entre instrumentos válidos que permitam aferir a qualidade de produções pedagógicas, hábitos de trabalho, relacionamento com seus pares, conhecimento, entre outros.

Como em qualquer outra profissão, a docência demanda atualização periódica de habilidades, conhecimentos e competências. Assim, quando se ajuíza um mapeamento de competências, também está se ponderando um adequado programa de desenvolvimento docente, que auxilia professores regulares em sua transição para professores competentes, levando em conta e valorizando inclusive, características individuais.

Ler matéria completa