Bauru e grande região

Articulistas

Controvérsias a respeito do Sínodo

por Valmor Bolan

05/11/2019 - 06h00

Dois jovens católicos norte-americanos protagonizaram no começo da semana passada uma cena que expressou o sentimento de muitos católicos inconformados com os rumos do controverso Sínodo da Amazônia, que foi concluído no último final desta semana.

Eles entraram em uma igreja, em Roma, onde estavam algumas imagens da deusa pagã da fertilidade Pacha Mamma, tomando-as.

Retiraram-se da igreja e jogaram as imagens nas águas do Rio Tibre. O vídeo viralizou nas redes sociais. Blogs e sites católicos conservadores elogiaram a iniciativa, mas o Vaticano lamentou o fato, ainda saindo em defesa das estatuetas indígenas, dizendo que o ato expressa uma atitude de falta de diálogo.

O fato é que desde o início do Sínodo da Amazônia, bastante polêmico, os católicos ficaram incomodados com as imagens, que se reportam a uma deusa pagã da fertilidade, à Mãe Terra, que foi erguida numa canoa, numa espécie de andor, carregada inclusive pelos próprios bispos, como se fosse a imagem de Nossa Senhora. Para muitos católicos, houve uma profanação não somente da Basílica de São Pedro, mas das outras igrejas que receberam as imagens, como ainda rituais com danças xamânicas, com características pagãs.

Cabe lembrar que quando o padre José de Anchieta, hoje santo, chegou ao Brasil no século XVI, buscou evangelizar, seguindo o que ordenou Nosso Senhor Jesus Cristo: "Ide e batizai". Mas bispos como Erwin Klauter, que atua na Amazônia, se gabam de nunca ter batizado um indígena, em trinta anos morando na Amazônia. Isso em respeito à cultura indígena. O que vemos com isso é um enfraquecimento da missão da Igreja, que em nome da enculturação vai perdendo o seu vigor na defesa da fé.

Mesmo no século XVI, a Igreja procurou tratar os indígenas com dignidade. O Papa Paulo III, no século XVI, condenou a escravização dos índios. Mas não deixou de evangelizar. Tudo isso fez do Sínodo um dos eventos mais controversos do pontificado de Francisco. Esperemos a exortação pós-sinodal para ver o que, afinal, será decidido pelo papa a respeito do que foi discutido e proposto pelos bispos sinodais.

Ler matéria completa