Bauru e grande região

Articulistas

Luz de sódio, agressora do meio ambiente

por Braz Melero

11/01/2020 - 06h00

"Pecar pelo silêncio quando se deveria protestar transforma homens em covardes". Inspirado em Abraham Lincoln, ouso manifestar mais vez nesta coluna minha indignação pela ausência da "Gestão Energética Municipal - GEM" em muitas cidades. Entre elas Bauru.

Mas como surgiu a tal da GEM? 1. 1996, a Eletrobrás instituiu-a, orientando tudo que envolve consumo de eletricidade; 2. 1998, a União estendeu o conceito à água (Rede Cidade Eficiente - RCE); 3. 2001, o Estado de SP criou o programa estadual, Redução e Racionalização Uso Energia (decreto 45.765); 4. 2000 a 2004, Bauru adotou a GEM, como consta dos anexos enviados à 8ª Promotoria (inquérito civil 46/2004).

À luz desse instrumento, formal ou informal, algumas cidades "rejuvenesceram o parque de IP". Substituíram as obsoletas lâmpadas Mercúrio e Sódio por LED-Light Emitting Diode. Entre outras: Cabrália Pta; Olímpia; Indaiatuba. Só estas atendem 311mil hab. (projetos empresa Elo Energia)

Bauru, com a sobras da CIP-Contribuição IP, obteve recursos financeiros. Na contramão de preceitos ecológicos, está instalando 800 lâmpadas de Sódio: 150 e 250W.

O objetivo é necessário e nobre: levar IP aos "vazios urbanos" onde existe a rede. (JC 20dez19). Porém, a forma adotada é devastadora à natureza. No passado, as lâmpadas incandescentes e mercúrio ficaram obsoletas na IP. Por analogia, opções criativas surgiram: Opção1. Substituir luminárias Sódio, 150 e 250W por luminárias LED (50, 80 ou 100W), em avenidas, trajetos ônibus, escolas... As retiradas seriam remanejadas para os "vazios urbanos". Haveria adicional de custos, mas ganho ambiental.

Opção2. Parcerias com condomínios e loteamentos fechados, adotando a sistemática descrita no item anterior. Poder-se-ia negociar custos.

Lembro que ao lado dos aspectos técnicos e lúdicos da IP (segurança, meio ambiente, arquitetura urbana e qualidade de vida) existem também os de natureza legal, econômica, social e política

Ao adotar a opção simplista de instalar novas lâmpadas Sódio, Bauru está "lançando 35 toneladas CO2 na atmosfera; deixando de preservar 201 árvores; consumindo energia que daria para abastecer cerca 35.000 clientes/ano"

Kaoru Ishikawa, criador de ferramentas aplicadas à qualidade total, ensina: "Quem não tem item de controle não gerencia nada"! Acrescento: fica à deriva!

 

Ler matéria completa