Bauru e grande região

 
Articulistas

Qual é o papel da sociedade na volta às aulas

por Gabriel Vedovato

20/11/2020 - 05h00

O ano de 2020 está sendo marcado pela epidemia que se originou na China no final de 2019 e rapidamente se disseminou pelo mundo. Ao chegar no Brasil, a OMS, juntamente com o Ministério da Saúde, instruíram a população sobre as medidas preventivas (lavar as mãos, álcool em gel, distanciamento social etc), juntamente com medidas mais drásticas como o fechamento de comércio, restaurantes e escolas.

A curto prazo, acreditava-se que o fechamento das escolas seria rápido e provisório. Porém, tendo em vista o cenário atual, é muito nítido que a realidade foi totalmente diferente. Quando se tornou evidente que as escolas. e institutos de ensino no geral, não retornariam as atividades presenciais tão cedo, adotou-se a modalidade de ensino a distância (EAD). Modalidade essa, que até então era inédita para alunos tão jovens.

Dentro de pouco tempo, diversas barreiras foram encontradas; Acessibilidade - para deficientes físicos ou intelectuais - questões socioeconômicas - acesso a internet, computador ou celular, local adequado - são grandes exemplos destas. Uma questão preocupante está relacionada a saúde das crianças e adolescentes: O sedentarismo (que é relacionado a falta de atividades físicas), obesidade e transtornos psicológicos, como a depressão, ansiedade e distúrbio do sono, se tornaram relativamente comuns entre os jovens. Porém, olhando para países desenvolvidos, como, por exemplo, Dinamarca, França e Alemanha, as escolas ficaram fechadas por um período muito menor. Já em Israel e Estados Unidos, algum tempo após a retomada das escolas, um pequeno surto surgiu e o EAD voltou a "reinar" novamente. E o questionamento que fica é: "Devemos ou não mandar as crianças para a escola?"

Existem evidências de que a escola tem papel importante na transmissão da Covid-19. Entretanto, não se sabe muito sobre como o vírus realmente age no organismo das crianças. Sabendo da precariedade encontrada na Educação Pública do Brasil, é difícil acreditar que medidas de prevenção sejam seguidas de forma rígida nas escolas.

Qual seria nosso papel, como sociedade neste cenário? Partindo do pressuposto de que os pais estão cientes do risco de saúde para as crianças, devemos lembrar sempre dos cuidados que devem ser tomados no momento do retorno. E frisar que, se caso a criança apresentar sintomas do coronavírus, ela deve se afastar imediatamente do ambiente escolar até a sua melhora.

O retorno às atividades presenciais deve ser gradual, opcional e muito cuidadoso, tanto para os alunos quanto para os pais, professores e outros profissionais.

O autor é escritor - http://surdezblog.com.br

Ler matéria completa