Bauru e grande região

Articulistas

2021 será o ano da Esperança

por Marco Vinholi

05/01/2021 - 05h00

O ano de 2020 ficará marcado na história da humanidade como aquele em que o mundo parou devido à pandemia causada pelo novo coronavírus. A doença matou, até este momento, mais de 1,5 milhão de pessoas em todo o mundo, 178 mil delas só no Brasil e causou a mais grave crise sanitária e econômica em décadas. Para evitar ainda mais mortes e que o desalento causado pela pandemia prospere em 2021, o Governo do Estado de São Paulo definiu o Plano Estadual de Imunização (PEI) contra a Covid-19, anunciado no início de dezembro pelo governador João Doria e que prevê o início da imunização em 25 de janeiro do próximo ano.

De acordo com o planejamento paulista, 9 milhões de pessoas seriam vacinadas já no primeiro trimestre utilizando o imunizante desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac, a Coronavac, que está sendo testada e será fabricada pelo Instituto Butantan.

Os primeiros a receberem a vacina serão os idosos com mais de 60 anos, profissionais da saúde, indígenas e quilombolas.

Ao todo, o governo paulista terá 46 milhões de doses da vacina, das quais 18 milhões serão usadas nesta primeira fase de vacinação. Outras 4 milhões serão disponibilizadas aos demais estados que queiram vacinar os profissionais da saúde que atuam na linha de frente da doença.

As ações do Plano de Imunização paulista serão feitas em total consonância e parceria com os 645 municípios do Estado e envolvem uma complexa logística de entrega, armazenamento e distribuição que inclui 54 mil profissionais de saúde, 27 milhões de insumos, 25 pontos estratégicos de armazenamento, 2.100 viagens e 25 mil policiais para escolta.

A imunização contra a Covid-19 imporá ainda o desafio de vacinar uma população altamente vulnerável à doença evitando os riscos de aglomerações. Para isso, os horários e locais de vacinação devem ser ampliados, passando dos 5,2 mil postos de vacinação atuais para 10 mil, incluindo locais como farmácias, escolas e quartéis da Polícia Militar, e estendendo o período de atendimento para noite, finais de semana e feriados. Os prefeitos são fundamentais na construção da logística de vacinação contra a Covid-19 e estão sendo ativamente ouvidos na elaboração das ações. Para alinhar as medidas também com os recém-eleitos que assumem os cargos em 1º de janeiro, o governo de São Paulo programou uma grande reunião de mobilização sobre o assunto, que ocorrerá durante o Seminário de boas-vindas aos prefeitos eleitos no dia 6 de janeiro. Estamos trabalhando com todo o vigor para evitar que mais brasileiros, especialmente os de São Paulo, sejam atingidos e morram devido à Covid-19. Nosso esforço é para poupar vidas e retomar a normalidade da rotina de adultos e crianças, recuperando o emprego e a renda de milhões de pessoas atingidas pela crise e fazendo a economia prosperar. Que 2020 fique para trás e 2021 seja, de fato, o ano da retomada da esperança.

O autor é secretário estadual de Desenvolvimento Regional e presidente do PSDB-SP.

Ler matéria completa