Bauru e grande região

Articulistas

Virada a página do calendário Gregoriano

por Maria América Ferreira

05/01/2021 - 05h00

O ano é 2021. O tempo é de renovação. Por enquanto, nada mudou. Na virada do ano teve rojão, barulho, brigas, motos ensurdecedoras, som alto até irritar a vizinhança. Crianças, idosos e animais sofreram o terror com tanto barulho. Gastar dinheiro com fogos de artifícios é coisa de humano mesmo. Enquanto uns se esforçam para ajudar e participar da vida em comum, outros fazem questão de mostrar o lado obscuro da humanidade.

Apesar de toda esperança, orações, desejos de um ano melhor, a situação não é boa. Qualquer mudança para o bem depende única e exclusivamente de cada um assumir seu papel enquanto sociedade e evoluir. Mesmo com todos os problemas enfrentados durante o ano que terminou e os que ainda estão por vir, as pessoas não aprenderam muito. Continuam achando que, individualmente, são ou representam alguma coisa no Universo.

A tal da empatia proclamada aos quatro cantos ainda não é realidade. Cada um por si continua sendo a máxima vivida pela humanidade. Quanta gente passou essa virada de página chorando a falta de alguém querido? Quanta gente passou nos leitos de hospitais? Quanta gente passou sem ter a mesa farta ou roupas bonitas? Quanta gente passou sem ter uma casa? Ah! Você é muito pessimista! Talvez. Mas enxergar a realidade é bem diferente de ser pessimista. Não dá para enfiar a vida embaixo do tapete e fingir que nada está acontecendo.

E quer saber? Este ano não vai ser muito diferente. O índice de desemprego é alto. A economia está capenga. A educação passa por uma crise sem precedentes. E essa pandemia ainda vai longe. Não se iluda que a vacina vai resolver tudo. Cientistas e médicos ainda estão 'pisando em ovos'. Por sorte não vai dar tempo de fazer testes com os animais e, desta vez, o ser humano é quem vai ser a cobaia. Só resta torcer para que tudo dê certo. Enquanto isso, o melhor ainda, é se adaptar de uma vez e continuar com as medidas de prevenção.

Assim como nos filmes de Super-Heróis, só resta torcer pra que o bem vença o mal. E quem sabe as pessoas prestem mais atenção umas nas outras. Todo dia é dia de aprender e mudar. Que a sabedoria supere a ignorância. Que cada um faça sua parte pensando no outro e não apenas em si mesmo. Que a compreensão, a solidariedade e o respeito invadam a humanidade.

Que 2021 seja leve.

A autora é jornalista.

Ler matéria completa