Bauru

Articulistas

A ilha de riqueza do G7 e seu mar de pobreza

por Jose Pedro Naisser

05/12/2021 - 05h00

Mais uma vez o mundo se vê em enormes dificuldades com relação à Covid-19. Depois da variante Delta, apareceu na África do Sul a variante ômicron, e em duas semanas o contágio já está nos cinco continentes, colocando todos os governos e segmentos ligados à economia, serviços e o turismo global já fazendo os cálculos de US$ 3 trilhões em prejuízos no primeiro semestre de 2022, que não serão recuperados diante da variante ômicron.

Lamentavelmente, o G7 perdeu a grande oportunidade de ter resolvido as faltas de vacinas e de logística junto ao continente Africano, que até agora só vacinou 6% de suas populações com a segunda dose. Outros países só chegaram a 1% da população.

O renomado jornal Financial Times citou que o presidente Biden perdeu a grande oportunidade de ter resolvido as doações das vacinas para os países emergentes porque ficou lidando internamente com a variante Delta, que hoje chega a 18% das infecções hospitalares dos que se negaram a receber as vacinas, e agora tem que resolver os problemas da ômicron.

Norte-americanos chegam da África para suas festas de Natal. A promessa de Joe Biden, presidente dos USA, foi a doação de 1 bilhão de doses aos países emergentes, no entanto, elas chegaram a somente 111 milhões.

Esqueceram dos pobres e nãoo conseguiram vacinar os ricos internamente.

Os integrantes do G7 encomendaram 2,9 bilhões de vacinas a mais do que suas populações. Só o Canadá encomendou 8 vezes mais que sua população, e agora sofre também com a chegada da ômicron, pelas viagens aéreas.

Esse é o mundo hoje, onde o G7 representa uma ilha de riqueza banhada por um mar de pobreza, principalmente no continente africano, que continua retirando o bônus dos seus recursos naturais, como petróleo e metais preciosos - ouro, diamante, lítio, prata e diamante, deixando o ônus da miséria e da degradação ambiental... E agora a escassez das vacinas.

Assim o G7 navega na nau dos insensatos, achando que estão agindo certo em suas decisões em pleno Mar de Pobreza.

Com tristeza pelos que perdem a vida diariamente pelo contagio do terrível vírus da Covid-19, que viaja por todos os portos e aeroportos do Mundo em tempo real.

O autor é colaborador de Opinião.

Ler matéria completa

×