Bauru

Articulistas

Sonho de um bauruense

por Arnaldo Ribeiro

30/07/2022 - 05h00

Acordei muito feliz nesta manhã, e é melhor escrever logo antes que o sonho seja apagado da minha memória. Sonhei com Bauru! No limiar do mês de aniversário, a cidade da qual me lembro e muitos outros amigos e amigas que também trazem Bauru no coração irão se identificar também.

No entanto, a Bauru do meu sonho não era essa de hoje que precisa de tantas melhorias, foi a Bauru da minha infância e juventude. Iniciei minha caminhada pela rua Primeiro de Agosto, mais sugestivo impossível. De imediato, fui até a Banca de Revistas do Orlando, comprei a Edição Especial de Aniversário da Cidade do nosso querido Jornal da Cidade e, como gosto de política, já fui logo lendo a coluna "Alta Tensão". Em seguida, fui ver as opções de cinema, tem o Capri, Bauru, São Paulo, São Rafael, entre outros, quantas opções… Após essa leitura (hábito que trago até hoje), fui conjugar o verbo que existe só em Bauru: "Batistar". Comecei tomando um café no Fran's, na quadra sete, depois olhei algumas vitrines, Casa Carvalho, Yara, Joalheria Apreia e Wilson Roupas, que colorido lindo, e as simpáticas comerciárias sempre gentis e atenciosas ….Que passeio incrível.

Chegando a hora do almoço, uma dúvida, Churrascaria Gaúcha ou Restaurante Paiol? Acabei indo no Gê Petisco, afinal, era sábado... Em seguida, era hora de ir para a nossa Vila Falcão, dia de jogo no Alfredo de Castilho. Chegando atrasado, corri para comprar ingresso, na fila ouvi a arquibancada tremer gritando Arauuuuujooooo e, como sempre, era mais uma falta cobrada pelo nosso inesquecível Araújo, e um pouco depois, gooooooooollllllllllll. Nessa hora vi meu pai comemorando na arquibancada (meus olhos ficaram rasos d'água, desculpe). Continuando essa doce viagem, passei por algumas repúblicas de estudantes que ficavam no centro da cidade, quantos amigos que ficaram para sempre no meu coração. Um pouco depois estava eu indo conferir a noite bauruense, onde ir? Zanzibar, Três por Quatro, Scaramouche, Armazém, Camarim, ufa …. haja fôlego! Tantas opções e tantos amigos… No final da noite, nada melhor que um legítimo sanduíche Bauru feito pelo Zé do Esquinão, ali na Rodrigues com a Gustavo Maciel.

Nessa hora passou o caminhão da coleta de lixo da Santos Monteiro (essa funcionava). Como todo sonho que segue, enfim, acordei. Fica a lembrança, a saudade, o carinho e apreço pela nossa Cidade e todos que aqui foram carinhosamente acolhidos.

Parabéns, Bauru! Você merece muito mais do que recebe, no coração do Estado e ao mesmo tempo dentro dos nossos corações.

 O autor é um bauruense apaixonado por essa cidade.

Ler matéria completa

×