Bauru e grande região

Alberto Consolaro

'Para que preservar a Terra?'

27/02/2021 - 08h06

Um dos temas atuais perderá todo apelo emocional e financeiro. Os frios, dinheiristas e incultos logo perguntarão: - para que preservar a Terra se, quando acabar de exaurirmos o planeta, mudaremos para Marte? Não compremos mais fazendas e apartamentos na Terra, vamos comprar e especularmos em Marte. Haverá ofertas de grandes condomínios marcianos! Planos de saúde que cobre o tratamento em Marte. Férias de outro planeta em Marte. Tudo será novidade como o mercado gosta. Até o Corinthians poderá ser campeão marciano!

As pesquisas exploratórias de Marte não representam uma aventura e nem uma maluquice. Teremos que decidir: vamos preservar a Terra ou abandoná-la quando tudo acabar? Debata na família e no trabalho: você moraria em Marte? Só tem um problema: e se Marte já tiver donos? Não existiriam seres constituídos por matéria ainda não identificável e visível para os humanos? Queremos uma casa nova para mudar, não conhecemos os donos e vamos invadir? Não seria uma propriedade alheia?

OS SINAIS

Ainda viveremos por aqui alguns anos e precisamos cuidar do que sobrou, mas já estamos de mudança. Dê uma olhada nos mais nobres jardins, quintais e terrenos da tua cidade: garrafas, calcinhas, mouses, camisinhas, remédios e muitos descartes.

Somos vorazes consumidores de energia como eletricidade, pilhas, baterias, combustível, álcool, calor, vento e luz. Em 2600 estaremos todos em pé um do lado do outro, não haverá mais espaços para deitarmos ou sentarmos. O calor será insuportável, arderemos de tanto consumir e usar energias.

Há planetas habitáveis maiores que o nosso e identificados como super-terras. São várias galáxias no multiverso com milhões de planetas e numerosas constelações, sem contar os satélites, cometas e asteroides. Nos acostumaremos com novas formas de endereços humanos.

A RAZÃO

Em Marte, os radares, telescópios, sondas, jipes e pequenas naves permitem concluir que existe água e que houve vida na forma como a concebemos. Será um dos planetas que poderemos habitar em futuro próximo! Iremos estragá-lo também?

Não se iluda, o interesse em Marte está mais para expansão de mercado e exploração de minerais e novos materiais do que para o bem da humanidade. Logo, por lá estarão as mineradoras, garimpeiros e siderúrgicas! Os pesquisadores dizem que Marte parece muito com a Terra. Não me parece precipitado providenciarmos projetos para novos endereços!

Tadinho de Marte!

(Alberto Consolaro – Professor Titular da USP e Colunista de Ciências do JC)

Ler matéria completa