Bauru

Alberto Consolaro

Esquinas da boca: cuide cedo dos caninos!

04/12/2021 - 05h00

Reprodução

Deslocado na arcada dentária ou dentro do osso por falta completa de espaço como revela a imagem tomográfica 3D: situações que poderiam ser prevenidas!

Ninguém sabe quem deu nome aos caninos ou presas por onde as feras famintas apreendem suas caças, enterrando-as em suas carnes. Suas grandes coroas cônicas com raízes longas e largas são suportadas por osso bem denso que permitem o chacoalhar repetido do pescoço até a caça morrer. Nos humanos, os caninos se destacam, mesmo menores que nos animais. Os outros dentes foram nominados por John Hunter há 300 anos na Inglaterra.

Os caninos são as esquinas da arcada dentária e nas cidades são muito importantes no fluxo das pessoas, na logística dos carros e na estética das metrópoles. Mas, os caninos são mais do que simples esquinas! Suas raízes e osso ao redor suportam fisicamente a asa do nariz e o lábio superior, sem deixar aparecer o sulco nasolabial que desce até o canto da boca ou comissura.

A asa do nariz e sulco nasolabial são muito importantes na estética da face, especialmente com o passar dos anos. Os caninos evitam assim o aspecto de envelhecimento facial precoce, preservando a forma nasal e o volume labial superior.

ONDE ESTÁ O CANINO ?

Como prevenir a falta de erupção, os distúrbios na posição e até a perda dos caninos? Estes frequentes problemas ocorrem pelo fato do canino ser o último dente a ocupar seu lugar na arcada dentária, com exceção dos dentes do siso.

A falta de espaço para os caninos altera o formato e o volume da arcada dentária, podendo gerar assimetrias no sorriso sem graça. Quase sempre o canino que não apareceu está dentro do osso em posição inadequada. Muitas pessoas têm maxila menor com falta de espaço para os dentes, requerendo correções ortodônticas e ortopédicas com especialistas.

O ideal é saber onde estão os caninos entre os 8 a 10 anos em consulta com o odontopediatra e ou o ortodontista. Antes dos 9 anos, nenhum dente permanente terá completado o seu desenvolvimento radicular. Para saber a posição do canino, vai se pedir radiografias e tomografia, incluindo imagens em 3D. Neste momento se estabelece como está a sua relação espacial com os demais dentes e posição na maxila. Para outros problemas nos maxilares, o exame deve ser aos 6 anos de idade.

Se o diagnóstico de alterações for feito nesta idade, há um conjunto de procedimentos que se antecipam aos problemas com os caninos e eles ocuparão sua posição adequada na arcada dentária e no osso que suporta os tecidos moles, incluindo o lábio superior e a asa do nariz. Sem os caninos originais, a face fica com seu terço médio quase caído, percebo na hora que vejo! O canino dá jovialidade e volume à face média.

O canino é fundamental para o bom funcionamento dos dentes e boca. Quando levamos a mandíbula para o lado, os dentes se guiam por ele, e assim levanta e separam-se os dentes posteriores superiores e inferiores para o movimento acontecer. Ao fazer isto, o canino coordena a função neuromuscular pelos estímulos captados pelos seus tecidos periodontais e, assim, é ele que conduz o movimento de fechamento mandibular para poupar a ATM ou articulação temporomandibular. Caninos são peças-chave na estética e função dos maxilares.

REFLEXÃO FINAL

Examinem sempre a situação espacial e estrutural dos caninos superiores e inferiores nas crianças quando estiverem entre 8 a 10 anos de idade. Para outros problemas serem prevenidos nos dentes e maxilares, o ideal é avaliar os maxilares ao redor dos 6 anos. Assim se previne seus problemas e os benefícios que isto traz para o futuro adolescente e adulto são muito grandes. O sorriso, a higidez da arcada dentária e da ATM e o aspecto estético da face média são bem mais bonitos quando se tem os caninos nas duas esquinas da arca dentária. Analise as faces dos famosos e conhecidos que considere lindos: o canino estará lá, é incrível.

(Alberto Consolaro – Professor Titular pela USP e Colunista de Ciências do JC)

Ler matéria completa

×