Bauru e grande região

 
Coluna Animal

Toxoplasmose: gatos não são vilões

01/08/2020 - 05h00

A Comissão de Defesa e Proteção Animal da OAB Bauru e o Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais de Bauru têm em suas competências defender e proteger os animais, e alguns temas são corriqueiros a esta competência, tendo grande esforço para a correta orientação acerca da infecção, desmistificando o tabu de que os gatos são transmissores da toxoplasmose. Para nos esclarecer a questão de forma técnica, convidamos a médica veterinária Adriana Januário, por ter muitos anos de profissão e com especialidade em felinos.

Segundo a médica, a toxoplasmose é uma zoonose, ou seja, mais uma doença que afeta seres humanos e outras espécies como gatos, suínos, canídeos, em que apenas cuidados básicos de higiene evitam o problema de forma muito simples. Ela pontua, que é um grande mito que os gatos transmitem a toxoplasmose ou que são os únicos dentre todas as espécies a carregar o vírus e que há muito tempo esse assunto faz parte do preconceito que envolve os felinos a muitos séculos.

No ser humano, o contágio da toxoplasmose através do gato é feito através da ingestão de fezes do animal contaminado, estando relacionada a falta de higiene do ser humano e que em "98% dos casos de infecções de toxoplasmose em seres humanos decorre da ingestão de carnes cruas, não devidamente cozidas de bovinos e suínos contaminados pelo toxoplasma, e não do contato com fezes de gato infectado por meio de ingestão destas fezes através de mãos mal lavadas, ou alimentos não higienizados corretamente por exemplo. Isso porque nestas outras espécies consumidas como alimentos, o parasita em si está na musculatura, que passa a ser infectante. Importante colocar também que a toxoplasmose pode ser transmitida ao ser humano pela ingestão de água contaminada e por via transplacentária, ou seja, a mãe com toxoplasma pode transmitir ao bebê".

Frisa a médica que "os gatos podem estar positivos para toxoplasmose, porém a contaminação por meio de seus fezes não é o que ocorre na maioria dos casos, como colocado acima, pois os gatos contaminados expelem toxoplasma por meio de suas fezes uma única vez em sua vida, por um período de 7 dias, nunca mais expelindo o toxoplasma, ao contrário de outros animais". "Caso o tutor do gato tenha dúvida se o animal está infectado, uma análise clínica do médico veterinário e um exame sorológico confirmativo, poderá detectar o toxoplasma, e em sendo o exame positivo, existe tratamento, com resposta muito rápida e positiva, assim como no caso dos seres humanos".

A médica pontua ainda que em todos os anos que trabalha com medicina felina nunca teve caso de gato com toxoplasma, sendo muito raro a doença nestes animais. A veterinária reforça como se deve evitar a toxoplasmose em relação aos gatos, como por exemplo, evitar que defequem em lugares que tenhamos hábitos alimentares e, acima de tudo, lavar os alimentos corretamente, higienizando frutas, verduras, legumes, tomar água de origem conhecida, lavar bem os utensílios quando manusear carnes cruas, ter cuidados com a alimentação fora de casa, evitando alimentos crus, carnes cruas, mal passadas, e sempre, lavar bem as mãos. Por fim, importante colocar, que nem todos os gatos são contaminados, sendo muito pequena a estimativa desta doença nesta espécie.

Ler matéria completa