Bauru

Coluna Animal

Não tenho dinheiro para pagar o veterinário e agora?

18/06/2022 - 08h31

A Coluna Animal dessa semana vai abordar formas de ajudar o tutor ou um protetor de animais a pagar as despesas veterinárias dos pets que necessitam de tratamento médico veterinário com urgência, ou seja, o animal precisa ser atendido por uma profissional o quanto antes, sem poder esperar arrecadar o dinheiro para custear as despesas, ou esperar o cartão de crédito está disponível.

Diariamente, em nossas redes sociais, observamos várias pessoas publicando casos de cães e gatos que precisam de tratamento médico veterinário com urgência, devido a gravidade da situação e não podem aguardar. Sendo assim, a Coluna Animal, no intuito de colaborar, listou uma série de formas de ajudar a levar o pet ao profissional o quanto antes. Deixar de levar o animal sem atendimento, sofrendo, pode configurar crime de maus-tratos. Segue uma lista de dicas:

1. Esse primeiro você pode começar a fazer desde já: fazer um cofrinho com todo o troco que recebe de pagamentos que faz, vá juntando toda semana, valores pequenos, 2 e 5 reais, ao longo de um bom período, você terá conseguido juntar um valor razoável. Abra mão de ir ao cinema toda semana por exemplo e guarde o valor dos ingressos para uma emergência animal.

2. Peça dinheiro emprestado para os mais próximos, amigos e parentes e assim que possível, devolva o quanto antes. Por se tratar de caso de vida ou morte, vale a pena arriscar um pedido desse.

3. Faça "bicos", ou seja, pequenos serviços como lavar o carro de alguém ou se oferecer para fazer faxina em um imóvel. São serviços que as pessoas estão sempre contratando e para ajudar um animalzinho muitas pessoas acabam ficando comovidas e contratam o serviço.

4. Arrecade prendas e faça uma rifa ou um bingo, deixando claro que o valor arrecadado será usado para pagar as despesas do pet.

5. Ofereça seus serviços para o veterinário, na tentativa de fazer uma troca de serviços. Muitas vezes, o veterinário está precisando contratar um serviço justamente aquele que você executa. É tudo uma questão de conversar.

6. Seja coerente em suas redes sociais: não exiba sua vida com passeios, viagens e compras e quando seu animal precisa de tratamento, alegue que não tem dinheiro para isso. Como pode não ter uma reserva para o seu animal e ter dinheiro para outras despesas? Estranho né.

7. E por último, seja cem por cento transparente como os valores que recebeu e com os valores que gastou. Tire fotos do animal na clínica, dos orçamentos das despesas, dos gastos em remédios e rações, patês, tapetes higiênicos, enfim tudo o que comprou para o animal.

Quem se precave e faz um esforço daqui outro dali e o próprio Universo conspira para que tudo dê certo e o animalzinho consiga ter atendimento médico veterinário o quanto antes, e que a vidinha dela seja salva ou que pelo menos ele seja atendido e pare de sofrer.

(crédito página Veterinário Sincero)

Thaís Viotto

Presidente da Comissão de Proteção e Defesa Animal da OAB Bauru (CPDA OAB Bauru)

 

Ler matéria completa

×