Bauru e grande região

Contexto Paulista

Pesquisa da Deloitte aponta ‘olhar consciente’ entre empresas do Interior

01/02/2021 - 14h10

A edição deste ano da pesquisa "Agenda", realizada pela Deloitte, apresenta a perspectiva para 2021 de 663 empresas quanto à recuperação e à sustentação de seus negócios no contexto pós-crise da Covid-19. Este grupo somou R$ 1,2 trilhão de receitas líquidas em 2020, equivalente a 15% do PIB brasileiro. Os dados referentes às empresas participantes do Interior de São Paulo mostram que estas estão “olhando conscientes para o futuro”, segundo a Deloitte. Das 91 empresas respondentes ao questionário, sediadas no Interior Paulista, 51% entendem que a economia, mesmo que de forma mais lenta, voltará a crescer em 2021 e ficará igual ao nível pré-crise da Covid-19. Nesse mesmo ponto, 14% acreditam que será superior ao nível de antes da pandemia, enquanto 32% assinalaram que a economia deve ficar um pouco abaixo desse patamar. Para apenas 3% haverá queda em relação ao fechamento de 2020. A mostra das empresas do Interior de São Paulo contou com empresas de 36 segmentos; em 79% dessas empresas, o faturamento é de até R$ 500 milhões.

Empregos emergentes

Dentre os investimentos para esse novo ambiente favorável, o que se destacou é que o quadro de funcionários deverá aumentar em 43% para as empresas do Interior Paulista, repondo vagas perdidas na crise. Já 25% pretendem manter o quadro de funcionários sem substituições; 26% devem manter os colaboradores com substituições por profissionais mais qualificados; 6% pretendem diminuir o quadro de funcionários. Durante o ano de 2020, as empresas do Interior de São Paulo investiram na área de tecnologia e a pesquisa mostra que isso seguirá firme em 2021, principalmente em infraestrutura e ferramenta de sistemas de gestão de dados e segurança.

Transformação e evolução

Devido ao isolamento imposto pela pandemia, surgiram novas necessidades para as empresas, no qual o digital se tornou o ponto principal para elas, seja por meio de canais de venda on-line e/ou modelos de trabalho remoto para promoverem a continuidade de seus negócios. Em 2020, desde o início da crise, 49% dos empresários do Interior de SP disseram que realizaram vendas on-line e dessas, 30% informaram que tiveram um aumento nas vendas. Devido a esse cenário, houve um aumento de 25% nos investimentos em canais on-line. Em relação ao teletrabalho, o Interior Paulista teve um número expressivo de mudança: 80% das empresas migraram um terço de seus funcionários para o trabalho remoto.

Tecnologia

Houve um aumento no investimento em tecnologia em 2020 para as empresas do Interior Paulista, mas para 2021 a pesquisa mostra que será ainda maior. Os aumentos serão nas seguintes áreas: 64% em soluções (sistemas, ferramentas, e softwares de gestão); 60% em gestão de dados (big data, analytics e inteligência artificial); 59% em infraestrutura (cloud, equipamentos, rede e telecom e serviços de TI); 44% em ferramentas de customer marketing e 43% em canais digitais de atendimento ao consumidor.

Investir e expandir

A Agenda 2021 mostrou que ampliar ou criar treinamento e formação de funcionários é fundamental para uma grande parte das empresas do Interior de São Paulo - 82% devem investir nisso em 2021. 80% das organizações pretendem lançar produtos ou serviços. Já 56% vão ampliar ou criar ações de Pesquisa & Desenvolvimento. 36% têm a intenção de ampliar ou criar parcerias com statups. Existe um apetite “moderado” dessas empresas, segundo a Deloitte, em investir em produção. Mais da metade pretende substituir ou adquirir novas máquinas e equipamentos e 36% planejam abrir novos pontos de vendas ou ampliar os antigos.

Negócios responsáveis

A governança ambiental, social e corporativa (ESG) ganhará um espaço maior em 2021. As empresas do Interior de São Paulo se mostram mais dispostas para essa adoção frente à mostra total da pesquisa. 20% não têm políticas de inclusão atualmente, mas 14% pretendem adotá-las em 2021. Do total de entrevistados do Interior Paulista, 34% não têm indicadores de gerenciamento de impacto ambiental; destas, 21% pretendem fazê-lo neste ano. Para 2021, 19% devem realizar relatórios de sustentabilidade (41% ainda não o fazem), e 24% dizem que vão adotar indicadores de sustentabilidade para as decisões estratégicas da liderança.

Negócios em 2021

Diante do que foi vivenciado em 2020, as demandas prioritárias que os empresários esperam do governo para o desenvolvimento dos negócios em 2021 são: em relação à atividade econômica, 87% das empresas esperam estímulo à para a geração de empregos; para o empreendedorismo, 74% querem mais apoio às micro e pequenas empresas; para avançar no social, 85% gostariam de mais investimento em educação; em relação à área de leis e regulamentações, 99% esperam a reforma tributária.

Frase

"A pesquisa deixa claro que a crise causada pela pandemia da Covid-19 levou as empresas a mudarem estratégias e aumentarem seus investimentos em algumas áreas dos negócios. Empresas do Interior de São Paulo estarão focadas em expandir o uso de tecnologia e melhorar a eficiência. O aumento no quadro de funcionários também é um ponto importante e que confirma uma recuperação das atividades. É um cenário otimista, mas de forma consciente” - Paulo de Tarso, sócio da Deloitte.

Ler matéria completa