Bauru e grande região

Conversando com o Bispo

Hoje é o aniversário de nossa senhora

Perguntas para dom Sevilha podem ser enviadas para o e-mail: [email protected] É importante colocar nome completo e endereço. Diocese de Bauru: www.bispadobauru.org.br

por Dom Sevilha Bispo Diocesano de Bauru

08/09/2019 - 06h00

Nosso imenso amor a Jesus faz com que amemos imensamente também a sua mãe, Maria. A Bíblia nos apresenta a mãe de Jesus como uma mulher especial na fé e como a primeira e mais perfeita discípula de seu filho Jesus. Ela consegue unir a extrema simplicidade de uma pobre mãe com a grandeza única de ter sido escolhida e preparada por Deus para ser a mãe do Salvador do mundo.

Os dados históricos sobre Maria, além da Bíblia, não são muitos. Escassos também são os dados históricos sobre a maioria dos personagens bíblicos. Sobre alguns apóstolos temos somente o nome. Ao longo dos séculos, antes do desenvolvimento das ciências históricas, o cristianismo expressou seu amor também através de devoções e tradições populares, alegorias, elucubrações e até lendas.

Não sabemos o dia em que Nossa Senhora nasceu, mas no livro medieval "Legenda Áurea" escrita por Jacopo de Varazze encontramos uma singela e poética anotação: "Durante muito tempo a data do nascimento da Virgem esteve escondida dos fiéis. Certo homem santo, constante na oração contemplativa, ouvia todos os anos, no dia 8 de setembro, uma alegríssima celebração por parte da comunidade dos anjos. Com muita devoção, ele pediu que lhe fosse revelado porque ouvia aquilo naquele dia do ano e não em outro, e recebeu a resposta divina: aquele era o dia em que a gloriosa Virgem Maria havia nascido no mundo e ele deveria divulgar o fato aos filhos da Santa Igreja a fim de que se reunissem à corte celeste nesta celebração."

Apesar da pobreza da nossa celebração terrestre, queremos também nos alegrar com os anjos e participar da celebração celeste. Esta união da terra com o céu acontece em toda Missa e a liturgia a expressa, sobretudo, quando afirma que "os anjos do céu, as mulheres e os homens da terra, unidos a todas as criaturas, proclamamos jubilosos vossa glória, cantando a uma só voz: Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do universo!"

Quão maravilhoso é saber que, durante a Missa, nossas pobres palavras estão espiritualmente unidas àquelas dos anjos. Formamos um só coro, anjos e homens pecadores, cantando a uma só voz, os louvores do Senhor. Infelizmente nós desafinamos muitas vezes com nossos pecados, mas os ouvidos misericordiosos de Deus se alegram com nossas vozes misturadas às dos anjos e dos santos. Toda Missa celebrada na terra está unida à liturgia do Céu.

O maior orador sacro da língua portuguesa, o Padre Antônio Vieira, proferiu estas maravilhosas palavras propícias para o dia de hoje: "Nascimento da Mãe de Deus: perguntai aos enfermos para que nasce esta celestial Menina, dir-vos-ão que nasce para Senhora da Saúde; perguntai aos pobres, dirão que nasce para Senhora dos Remédios; perguntai aos desamparados, dirão que nasce para Senhora do Amparo; perguntai aos desconsolados, dirão que nasce para Senhora da Consolação; perguntai aos tristes, dirão que nasce para Senhora dos Prazeres; perguntai aos desesperados , dirão que nasce para Senhora da Esperança. Os cegos dirão que nasce para Senhora da Luz; os discordes, para Senhora da Paz; os desencaminhados, Senhora da Guia; os cativos, para Senhora do Livramento; os cercados, para Senhora da Vitória. Dirão os pleiteantes que nasce para Senhora do Bom Despacho; os navegantes, para Senhora da Boa Viagem; os temerosos da sua fortuna, para Senhora do Bom Sucesso; os desconfiados da vida, para Senhora da Boa Morte; os pecadores todos, para Senhora das Graças; e todos os seus devotos, para Senhora da Glória. E se todas estas as vozes se unirem em uma só voz, dirão que nasce para ser Maria e Mãe de Jesus: Maria, de qua natus est Iesus!"

Ler matéria completa