Bauru

Conversando com o Bispo

O cego vê e segue a Jesus

24/10/2021 - 05h00

O cego à beira do caminho foi curado e seguiu a Jesus - Mc 10,46-52.

Nesta página evangélica de São Marcos Jesus saiu de Jericó tomando o caminho rumo a Jerusalém junto com seus discípulos e uma grande multidão. Sentado à beira desse caminho estava um mendigo, que era cego. Percebendo que Jesus passava, começou a gritar: "Jesus, filho de Davi, tem compaixão de mim". Muitos mandavam que ele se calasse. Mas ele gritava mais alto ainda, pedindo piedade. Jesus parou e disse: "Chamai-o". Chamaram o cego, dizendo-lhe: "Coragem. Ele te chama, levanta-te". Deixando seu manto, deu um pulo e foi até Jesus. Jesus lhe perguntou: "Que queres que eu te faça?" O cego respondeu: "Mestre, que eu possa ver novamente". Jesus lhe disse: "Vai, a tua fé te salvou". No mesmo instante ele recuperou a vista e seguiu Jesus pelo seu caminho. Conforme o relato evangélico, dá para se perceber as trilhas das etapas da iniciação cristã: ouvir Jesus como primeira expressão de fé; aproximar-se de Jesus; despojar-se do homem velho no sinal do manto jogado ao chão. Importante é o envolvimento das outras pessoas e, finalmente, como se realiza a aliança: de um lado, a graça de Deus, representada pela cura da cegueira e, de outro, o seguimento de Jesus Cristo pelo cego de Jericó. Nesse processo todo, decisiva é a fé em Jesus Cristo, o filho de Davi. Decisivo é também sentir-se necessitado da misericórdia de Deus, acreditando que Deus, por Jesus Cristo, pode restituir a vista. E, depois, seguir a Jesus no caminho que leva a Jerusalém, tornando-se verdadeiro discípulo. Importante para o cego foi desejar ver de novo, confiar em Jesus e corresponder ao seu chamado, seguindo-o pelo seu caminho. Não será exagero dizer que nós cristãos já fomos cegos em algum dia e estivemos sentados à beira da estrada da vida. Na oportunidade, Cristo nos chamou. Nós o ouvimos? Pedimos-lhe ver de novo? Reconhecemos a recuperação da vista? Fomos-lhe gratos? Sim, se pudemos responder positivamente a Jesus, então, digamos-lhe agora: Mestre, com alegria, o seguiremos no seu caminho, como seu verdadeiro discípulo!

Vou trazer de novo o cego e o coxo entre lágrimas e preces - Jr 31,7-9.

O trecho anuncia o regresso de exilados à sua terra, enfatizando que os israelitas reconhecem nesse acontecimento a salvação realizada por Deus. E conclama o povo a glorificar o Senhor e a agradecer-lhe por sua ação misericordiosa através da qual Deus socorreu e salvou um resto de Israel: "Salva, Senhor, teu povo, o resto de Israel. Eis que eu os trarei do país do Norte e os reunirei desde as extremidades da terra; entre eles há cegos e aleijados, mulheres grávidas e parturientes: são uma grande multidão os que retornam. Eles chegarão entre lágrimas e eu os receberei entre preces; eu os conduzirei por torrentes de água, por um caminho reto onde não tropeçarão, pois tornei-me um pai para Israel, e Efraim é o meu primogênito".

Tu és sacerdote para sempre, na ordem de Melquisedeque - Hb 5,1-6.

O retorno da humanidade para Deus é realizado em Cristo Jesus, o sumo sacerdote, que é de origem humana, foi escolhido entre os homens para ter a capacidade de compadecer-se dos que estão no erro e de poder servir o povo em suas relações com Deus. Como mediador entre Deus e o homem oferece dons e sacrifícios pela expiação do pecado. Cristo é o único sacerdote da nova aliança que ofereceu um único sacrifício. Os que se dizem sacerdotes não o são por si mesmos, mas porque partícipes do único sacerdócio de Cristo e destinados a tornar presente no altar o único sacrifício de Cristo. Na realidade Cristo Jesus é quem absolve, consagra e abençoa.

Ler matéria completa

×