Bauru e grande região

Reflexão e Fé

Como viveremos?

Hugo Evandro Silveira Pastor Titular - Igreja Batista do Estoril. E-mail: [email protected]

22/03/2020 - 06h00

"Aquietai-vos e sabei que Eu Sou Deus. Eu sou o Rei das nações, o Rei do mundo inteiro. O SENHOR Todo-Poderoso está do nosso lado; o Deus criador é o nosso refúgio" (Cf. Salmo 46.10.11). Nesses dias de ansiedade, medo e desconfiança, o cristão deve se lembrar quem é o seu Deus. O escritor britânico C.S. Lewis tentava responder a uma pergunta que também temos feito em dias de COVID-19: Como viveremos diante dessa situação tenebrosa? Lewis mesmo responde: "[...] assim como você já vive na era do câncer, sífilis, paralisias, guerras e acidentes de toda ordem" - assim como você já vive em uma era de desemprego, violência, saúde pública caótica, dengue, chicungunha, ebola, influenza H1N1, gripe aviária, gripe suína, bactérias, HIV e etc. Então quando o mal chegar que nos encontre orando, trabalhando, aprendendo, ensinando, ouvindo, amando e servindo, porque todo o mal desse mundo pode até matar os nossos corpos, mas jamais poderá furtar as nossas mentes e muito menos exterminar a nossa alma. Estamos lidando como uma enfermidade perigosa gerada por um inimigo invisível. A OMS (Organização Mundial de Saúde) prevê que haverá um grande aumento de pessoas infectadas no mundo. No Brasil a realidade não é diferente e isso naturalmente tem gerado pânico nas pessoas. Líderes de várias organizações, inclusive igrejas, tem procurado agir com sabedoria para orientar seus seguidores quanto ao melhor procedimento nessa situação, inclusive suspendendo as reuniões públicas, como é o caso da nossa igreja Batista do Estoril. Quando refletimos sobre o agir com sabedoria, sem dúvida, dois extremos comuns devem ser evitados: o descaso e a paranoia - negar a gravidade do momento é uma irresponsabilidade criminosa que pode resultar em morte. Contudo, agir com desespero, como aqueles que vão aos mercados comprar todos os suprimentos das prateleiras sem deixar opção ao semelhante, resulta em pandemônio com efeitos imprevisíveis. O equilíbrio da sabedoria aponta que na dinâmica dos encontros públicos, fraternos, marcados com afeto mútuo, a ordem é do afastamento social que deve ser obedecido por todos. Claro que não tememos! O cristão tem a sua segurança em Deus. Apesar da nossa luta pela sobrevivência, o próprio Senhor Jesus provocou: "Quem de vós, por mais que se preocupe, pode acrescentar algum tempo à jornada da sua vida?" (Mateus 6.27). Então, é óbvio que lutamos pela vida, mas ao mesmo, há uma voz divina que acalenta o nosso interior a descansarmos em Deus, porque a vida de todo ser humano está em suas mãos. Ele está no controle da existência e, a ansiedade, desespero e pânico não ajuda em nada. Aquele que crê, pela fé, pode ouvir promessas maravilhosas fluindo dentro de si: "Lancem sobre Deus toda a vossa ansiedade porque Ele tem cuidado de vós"( I Pedro 5.7). Todavia, ainda assim, como seres racionais e responsáveis, com sabedoria, devemos tomar todas as precauções necessárias que tem sido amplamente divulgadas. Por fim motivamos todos a oração e intercessão, rogando a Deus que Ele intervenha cessando essa aflição que tem tomando o mundo de pavor. Muitos desdenham da existência de Deus e de seu poder, "dizendo-se sábios, tornaram-se loucos ao trocar a glória de Deus por coisas mortais" (cf. Romanos 1.18-23), mas já no tempo de Isaías (VIII a.C.) o profeta revelou sob inspiração divina: "Meu povo, imediatamente, vão para as suas casas e tranquem as portas, escondam-se por algum tempo até que passe a ira de Deus sobre a terra" (cf. Isaías 26.20) - não há o que aconteça sobre a terra sem a devida determinação do seu criador; acredite ou não! Portanto, somos iguais, pobre ou rico; o mundo está espantado, sobressaltado, tudo mudou, inesperadamente tudo parou, logo, cuide-se, proteja-se, aja com responsabilidade, recolha-se em casa, desligue a TV, saia um pouco das mídias sociais, reúna a sua família em volta da mesa, abra a Palavra de Deus para meditar na sabedoria divina, busque o Criador em oração por meio de Jesus Cristo, clame e suplique pela misericórdia de Deus sobre a terra, e assim, aprenda e desfrute da paz que só Cristo pode lhe dar, que não é essa paz que o mundo interpreta, mas a paz divina que se estabelece mesmo no meio das crises, pois Jesus nos prometeu: "Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como a paz que o mundo vos dá. Não se perturbem os seus corações e nem tenham medo" (João 14.27) - pois Deus está com aqueles que Nele confiam. Então, que o SENHOR tenha misericórdia de nós e, quando tudo isso acabar, não se esqueça, nunca mais, de buscar ao Senhor unidos em família, assim como devemos fazer agora.

Ler matéria completa