Bauru

Reflexão e Fé

O tempo não perdoa

Hugo Evandro Silveira Pastor Sênior - Igreja Batista do Estoril. E-mail: [email protected]

06/06/2021 - 05h00

Você luta para se sentir perdoado? A realidade mais vital, não é se sentir perdoado, mas ser perdoado. Muitos de nós, se formos honestos, concordaremos que enfrentamos dificuldades em nos sentir perdoados. Muitos vivem desanimados, frequentemente entediados, ressentidos, críticos em relação a tudo e a muitos, pesarosos, incomodados essencialmente, errantes e, saber que foi perdoado traz alívio.

Todos nós sabemos o que é ser perturbado por nossos erros, pecados. Certos pesos provocam nossas consciências mais do que outros. Às vezes, nossa culpa nos obscurece durante o dia e adentra nosso descanso à noite. Praticamente fala conosco. Muitas vezes recorremos aquela máxima: "O que está feito está feito; se não consegui consertar, tentarei esquecer, afinal o tempo irá curar". Realmente o tempo ajuda a estabelecer certo alívio. O que não consideramos é que o Deus dos céus não se esquece de um pecado que não houve arrependimento, só porque o tempo passou. Assim Deus diz: "Eles pensam que eu esqueço todos os seus pecados. Eles estão rodeados pelas suas maldades, e não posso deixar de vê-las"(Oséias 7.2). Deus não varre o pecado para debaixo do tapete com a vassoura do tempo. Nossos pecados passados têm boca, olhos e pernas. Embora tentemos silenciar nossas consciências, justificando de que erramos lá na semana passada, no mês passado, na década passada, o conhecimento de Deus em relação aos nossos pecados que foram jogados para "debaixo do tapete" não conhece remissão ou data de validade. A nossa maldade, o nosso erro, a mentira, o engano, o pecado não enferruja nem se decompõe diante de Deus. O tempo pode esconder um pecado, mas não corrige uma ofensa contra o divino. Só porque o tempo passou e banimos nossos pecados de diante de nossos próprios olhos, mas eles ainda estão à vista dEle. Nossas transgressões do passado estão vivas e precisam ser tratadas, restauradas, perdoadas. Nossos pecados de outrora ainda gritam de lá. Paulo o apóstolo garante-nos que "O salário do pecado é a morte" (Romanos 6.23). A respeito de pecados contra alguma pessoa, o Senhor Jesus instruiu: "Assim sendo, se trouxeres a tua oferta ao altar e te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali mesmo diante do altar a tua oferta, e primeiro vai reconciliar-te com teu irmão, e depois volta e apresenta a tua oferta" (Mateus 5.23,24). Aos pecados contra o Criador, somente a morte de Cristo na cruz pode perdoar os pecados daqueles que arrependidos clamam pelo perdão e a graça de Deus. Aos confessantes Jesus Cristo pagou plenamente a penalidade por seus pecados, assim, Deus, graciosamente, imputa aos confessantes a justiça de Cristo e não mais se lembrará de seus pecados: "Aquele que não conheceu pecado, Ele o fez pecado por nós, para que nEle fôssemos feitos justiça de Deus"( 2 Coríntios 5.21).

Confiando no tempo para interceder, sem arrependimento, sem confiança em Cristo, sem recorrer a Jesus Salvador que pode perdoar transgressões, muitas vezes, na preguiça, na vergonha e na incredulidade, achamos que está tudo bem, que logo nossa falta será esquecida, será coisa de meses, de anos para tudo ser esquecido e ficar bem; o tempo cura! Mas esses "fantasmas" não morrem, eles voltam, atormentam. Os pecados secretos que convenientemente foram escondidos e nunca foram confessados, voltam para visitar. O tempo não possui poder para perdoar.

Então, o que pode purificar nossos pecados? Nada além do sangue de Jesus. Remorso, sem o erro ser tratado, sem arrependimento diante do ofendido e de Deus, sem clamor a Jesus, não gera cura. Em Cristo podemos experimentar um revigoramento do verdadeiro arrependimento, de um renascer, de uma alegria constante por saber que todos os nossos pecados foram verdadeiramente perdoados: "Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor" (Atos 3.19). Creia que somente Jesus é quem pode salvar-lhe de uma consciência atormentada. Somente Ele pode produzir aquele alívio de ser perdoado. Se você tem algum pecado persistente que ainda não trouxe a Cristo, acredite que Ele está mais disposto a lhe perdoar do que você mesmo a se arrepender. Deus têm prazer em perdoar pecadores arrependidos. Através de Cristo, Deus é mais eficaz do que o tempo, verdadeiramente efetivo para perdoar.

IGREJA BATISTA DO ESTORIL

59 anos atuando Soli Deo Gloria

 

Ler matéria completa