Bauru e grande região

Reinaldo Cafeo

Sacar ou não sacar o FGTS?

por JCNET

11/08/2019 - 06h00

O trabalhador conheceu as regras para saque dos recursos que estão depositados no FGTS, tanto nas contas ativas como inativas. Nesta primeira fase, o valor será de até R$ 500,00. A questão é: sacar ou não? Do ponto de vista financeiro, é uma análise de custo/benefício. Sejamos práticos: está com dívida atrasada e até com o nome negativado no serviço de proteção ao crédito? Saque o dinheiro e regularize sua situação. Não consegue pagar integralmente a fatura do cartão de crédito? Saque o dinheiro e reduza o saldo devedor. Neste caso, sairá de juros acima de 10% ao mês. Isso é bom. Deve no cheque especial? Saque reduza o saldo devedor. Juros também acima de 10% ao mês.

Decisão sobre aplicar e consumir

O FGTS rende 0,25% ao mês TR. Como a TR está em zero, o rendimento é só o 0,25% ao mês. Como anualmente há o depósito do lucro no uso do FGTS, este rendimento mensal pode chegar a uma média de 0,48% ao mês. Bom rendimento. O problema é que o trabalhador se não sacar deixará o dinheiro no fundo. A não ser que opte pelo saque anual, outra nova regra, é preferível sacar este dinheiro agora e aplicar, mesmo rendendo um pouco menos. Será a garantida a liquidez, isto é, o dinheiro estará disponível para emergências. Agora, se for para consumir, somente se o destiná-lo para realizar aquele sonho inadiável, caso contrário, não saque. Resumindo: sacar para pagar dívidas caras ou para poupar. Consumir, não!

Inflação baixa

A inflação oficial do Brasil medida pelo IPCA que é calculada pelo IBGE ficou em 0,19% em julho, sendo a menor taxa para um mês de julho em cinco anos. Lembrando que em junho a inflação também ficou comportada em 0,01%. Mesmo com a pressão no preço da energia elétrica que atingiu 4,48% no mês passado, os demais preços da economia compensaram esta alta. No ano o IPCA acumula alta de 2,42%, nos últimos 12 meses alta de 3,22%, ficando bem abaixo da meta para este ano que é de 4,25%.

Projeção e juros

Tudo aponta para uma inflação abaixo de 4% para este ano. A mediana da projeção do mercado está na casa dos 3,80%. Isso abre espaço para nova queda na taxa de juros. Lembrando que o mês passado o Banco Central brasileiro reduziu a taxa básica de 6,5% ao ano para 6,0%. Se a inflação ficar mesmo comportada, nova redução na taxa de juros virá.

Salário mínimo: R$ 1.040 em 2020

A Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional aprovou a Lei de Diretrizes Orçamentária. O texto contempla salário mínimo de R$ 1.040,00 diante dos atuais R$ 998,00. Esse novo valor corrige o mínimo em 4,2% representando apenas o índice inflacionário. Com isso não haverá o chamado ganho real, que é o percentual acima da inflação representando pelo crescimento do PIB de dois anos anteriores.

Mude já, mude para melhor!

Sempre é bom ser resiliente. Praticar a capacidade de suplantar crises, problemas e obstáculos. É o praticar o ir em frente, mesmo na adversidade. É perdoar. Isso torna as pessoas melhores. É resiliente? Não? Sempre é tempo para mudar. Mude já, mude para melhor! Acesse o Canal Reinaldo Cafeo Soluções em Gestão e saiba mais sobre economia e finanças.

Ler matéria completa