Bauru e grande região

 
Reinaldo Cafeo

A adequada leitura dos indicadores

12/07/2020 - 05h00

Observo que certas pessoas e até mesmo setores da sociedade, têm dificuldade em fazer uma adequada leitura dos indicadores macroeconômicos e setoriais. Tomemos como exemplo o último dado do desempenho do varejo brasileiro. O indicador aponta que este setor cresceu 13,9% na comparação com o mês de abril. E alguns apontam: a melhor taxa de crescimento para um mês de maio desde o ano 2.000. Vamos interpretar a dimensão deste número.

Analisar o histórico recente

Tomemos como base 100 o mês de fevereiro deste ano, mês que ainda não sabíamos ou ignorávamos a real dimensão do novo coronavírus. O mês de março apresentou queda de 2,8% no setor. Portanto, neste exemplo, de 100 moedas vendidas em fevereiro, março vendeu 97,2 moedas. Em abril o tombo foi de 16,3% sobre março. Assim, de 97,2 moedas vendidas, agora temos 81,3 moedas. E agora o anúncio é de crescimento de 13,9% em maio sobre abril, atingindo 92,6 moedas, ou seja, o mês de maio operou com queda média de 7,34% sobre o mês de fevereiro. Comparando com o mesmo mês do ano passado a queda é de 7,2%.

Lado cheio do copo

Não obstante observarmos erros nas avaliações de desempenho e assumi-las como verdadeiras, inclusive deixando de considerar que o varejo é muito amplo, portanto, apresenta desempenho distinto dependendo do segmento, há um lado cheio no copo. A leitura que o dinheiro das famílias ficou escasso e que haveria seletividade na demanda, não se confirmou, ao menos em parte. Há sim uma demanda reprimida e com o dinheiro da ajuda governamental, alguns consumidores deixaram a cautela de lado. Agora é aguardar o que vem pela frente. Vamos acompanhar.

Enquanto isso o ouro está em alta

Em tempos de incertezas certos mercados se apresentam como porto seguro aos investidores. Um deles é o mercado do ouro. A onça do metal tem operado acima dos US$ 1.800. O preço do metal tem avançado fortemente neste período de Covid19. Nesta mesma linha outro metal, a prata tem tido alta de preços. Não é hora de entrar pois a cotação está elevada, mas se você tem sobras financeiras vale a pena analisar este mercado.

Bauru: é hora do diálogo

Os verdadeiros líderes e os verdadeiros Estadistas pensam e agem como cérebro e não com o fígado. São capazes de passar por cima das desavenças e criar um ambiente favorável ao coletivo. É nesta linha que entendo é assim que o regramento da nova Lei que flexibiliza a abertura do comércio e serviços, recentemente aprovada pela Câmara, deve ser tratada pelos agentes públicos e privados. Não há que se falar em ganhadores ou perdedores e sim em encontrar caminhos para uma construção conjunta de soluções que contemplam segurança sanitária e a retomada das atividades produtivas. É praticar o senso coletivo.

Mude já, mude para melhor!

Soberba não cabe nas relações humanas. É hora de humildade, reconhecendo que em tudo na vida há vários lados e encontrar pontos de convergência garante soluções de interesse coletivo. Sempre é tempo para mudar. Mude já, mude para melhor!

Ler matéria completa