Bauru e grande região

 
Reinaldo Cafeo

Investimento em ouro

23/08/2020 - 05h00

A boa rentabilidade do ativo "ouro" vem despertando o interesse de muitos investidores. Vamos aproveitar este interesse e esclarecer alguns pontos importantes. Vale lembrar que o ouro, devido a sua raridade e características tem status de ativo desde 1.500 anos antes de Cristo. Ele garante ao investidor proteção e segurança. Toda vez que o mundo financeiro opera com risco mais elevado, a demanda por esta modalidade cresce.

Como investir

O investidor pode tanto adquirir o ouro físico (barras de ouro), neste caso as compras são limitadas a R$ 10 mil em dinheiro, com em papéis que estão lastreados no ouro, ou ainda nas operações de mercado futuro. Vale destacar que somente haverá incidência tributária caso as vendas sejam superiores a R$ 20 mil.

Rendimento e riscos

Como todo ativo investir em ouro e obter bom retorno dependerá do jogo de oferta e procura. Em momentos de pandemia, como o agora, há aversão a risco, portanto, aumenta a demanda por ouro, elevando seu preço. Para ilustrar, neste ano o rendimento está na casa dos 44%, o que cá entre nós um excelente ganho. A cotação do grama de ouro está na faixa de R$ 345,00 (oscila diariamente). No tocante a riscos, o primeiro deles está ligado ao armazenamento deste ativo, caso a opção seja pela compra física. Há ainda o risco de oscilação do preço no mercado. Este tipo de modalidade é considerado como renda variável, portanto, não há certeza do retorno. A pergunta que não quer calar: devo comprar ouro? Entendo que neste momento, não, pois o seu valor está em alta. Quer experimentar este mercado? Procure o intermediário financeiro de sua confiança e acompanhe as cotações. Observando queda aí sim será o momento de comprar diversificando sua carteira de investimentos.

Projetando 2021

Considerando que 2020 será um ano ser esquecido, é hora de ficar de olho nas projeções para 2021. Tudo indica que, ocorrendo segurança sanitária, entendendo com isso a descoberta de uma vacina contra a Covid19, a economia brasileira depois de apresentar um tombo este ano voltará a crescer. Podemos projetar algo próximo a 3,5% de expansão do PIB. Um cuidado aqui: a base de comparação será este ano, portanto, muito precária. Mas haverá crescimento. Também é factível projetar inflação na casa dos 3% ao ano, com a taxa básica um pouco acima deste patamar e com taxa de câmbio assumindo um piso na ordem de R$ 5,00. É cedo ainda para jogar todas as fichas nestas projeções, por isso, iremos acompanhar o desempenho da economia e sempre que houver novidades, traremos a análise aqui na coluna.

Do olho na previdência privada

Fica aqui uma dica às pessoas que possuem mais de uma fonte de renda e que declaram seu imposto de renda pelo modelo completo: considere investir parte de sua renda em previdência privada. Neste caso o benefício no tocante a redução da base de cálculo do imposto é de até 12% de sua renda bruta. Para estes a modalidade indicada é o PGBL - Plano Gerador de Benefício Livre. Procure um especialista para simular as vantagens tributárias. Se optar por investir nesta modalidade considere os custos de: administração do fundo, carregamento, performance financeira, entre outros. Não deixe de analisar a relação custo/benefício em canalizar recursos para previdência privada.

Dicas da semana

Aproveita os últimos dias de agosto e faça uma projeção de sua renda e seus gastos até o dia 31 de dezembro. Inclua o incremento de gastos típicos de fim de ano. Também fique de olho tanto nas vantagens em comprar na Semana do Brasil em setembro e na Black Friday em novembro. Trabalhe nisso.

Mude já, mude para melhor!

Manter o otimismo, este deve ser o exercício diário para cada um de nós. Vivemos momentos de incertezas e de insegurança, tanto no tocante a saúde como no ambiente econômico, mas não podemos deixar que isso tudo seja maior do que nossa disposição em melhorar. Otimismo: dias melhores virão. Sempre é tempo para mudar, mude já, mude para melhor!

Ler matéria completa