Bauru

Reinaldo Cafeo

Bitcoin estreia em Wall Street

24/10/2021 - 05h00

Pois é, Wall Street, onde funciona a maior bolsa de valores do mundo, em Nova York, se rendeu e passou a oferecer operações lastreadas em Bitcoin, a criptomoeda mais conhecida do mundo. Estreou no último dia 19 de outubro o ProShares Bitcoin Strategy, que é um Exchange Traded Fund (Fundo Negociado em Bolsa) - ETF, dedicado a derivativos de bitcoins. Esta modalidade foi desenvolvida pela gestora americana ProShares, que possui US$ 67 bilhões em ativos, que é especialista em ETFs. O ativo tem o nome de Bito.

Criptomoeda é renda variável

Como qualquer ativo de renda variável, os preços sobem e descem. Há receios que neste momento o Bitcoin esteja supervalorizado, devido a entrada de muitos investidores e especuladores no mercado. Quando o movimento dos especuladores for no sentido contrário, os preços podem cair. Aqui reside o ponto de atenção: cuidado com o valor aplicado nesta modalidade e saiba que há risco de perder parte do dinheiro.

Cesta básica salgada

A inflação oficial no Brasil está em 10,25% se analisarmos o acumulado dos últimos 12 meses fechado em setembro, mas quando analisamos o avanço no preço da cesta básica, que é uma parte do índice de inflação, composta de alimentos, o acumulado está próximo em 16%. É evidente que este fato atinge mais fortemente os mais pobres, que devido a baixa renda, concentram seus gastos nestes produtos. Vejam alguns aumentos por produtos: açúcar cristal alta de 38,37% no período; óleo de soja 32,06%; café moído 28,54% e o contrafilé 26,88%.

Os motivos da disparada dos preços

Os alimentos tiveram disparada de preços pela combinação de inúmeros fatores. O primeiro é a valorização das commodities agrícolas no mercado internacional durante a pandemia. Se isso não bastasse, tem a disparada do dólar no Brasil. Duplo impacto nos preços. Para complicar ainda mais, o clima vem impactando na produção de alimentos, portanto, reduzindo a oferta dos produtos.

Como driblar a carestia?

Não é fácil. A primeira decisão é reduzir a quantidade do produto adquirido, mas isso nem sempre é suficiente. A segunda, é substituir os produtos mais caros por inferiores, mais baratos. Além disso, a velha pesquisa de preços é fundamental. Aqui vale cotizar entre os familiares, realizando compras conjuntas. A criatividade culinária é outro ponto a ser avaliado.

Que tal ter uma nova atitude ao lidar com dinheiro?

O tempo passou rápido e nos aproximamos do fim de ano. Apesar de sempre desejarmos mudanças (para melhor) no próximo ano, muitas vezes não fazemos a lição de casa. Que tal ter uma nova atitude ao lidar com seu dinheiro em 2022? Em seguida vamos passar algumas dicas para chegar lá.

Organize suas finanças

Coloque tudo em uma planilha de tal maneira que você saiba exatamente o quanto e em que está gastando seu dinheiro. Separe estas despesas nas dimensões: essenciais, prioridades financeiras e estilo de vida. O indicativo é que 50% de sua renda líquida (renda bruta deduzida dos impostos) sejam destinados para gastos essenciais, 15% para prioridades financeiras e 35% para o estilo de vida. Caso o resultado apurado seja diferente destes patamares, reveja seu comportamento de gastos. Este é o primeiro olhar para gestão de suas contas para entrar o ano que vem ajustado. São os chamados gastos supérfluos ou não essenciais. Se tiver que cortar gastos, comece por estes. Alguns exemplos: gasto com celular (sem ser a trabalho), assinatura de TV a cabo, comida fora de casa de lazer, viagens caras, roupas de grife, entre outros. Após estes ajustes, revisite os gastos essenciais, mudando marcas e até mesmo comportamentos de gastos. Voltaremos ao tema.

Mude já, mude para melhor!

Tenho observado pessoas de bem serem seduzidas por pessoas sem escrúpulos. São manipuladas sem que deem conta. Fica o alerta: cuidado com o canto da sereia. Mude já, mude para melhor.

Ler matéria completa

×