Bauru

Reinaldo Cafeo

Ministério da Economia refaz contas

21/11/2021 - 05h00

O Ministério da Economia refez suas contas e agora projeta crescimento econômico para este ano de 5,1%, ante a 5,3% que anteriormente foi projetado. Para o ano que vem a projeção caiu de 2,5% para 2,1%. Estas projeções são mais otimistas do que as realizadas pelo mercado. Já para a inflação os dados oficiais do governo convergem para o que o mercado projeta: revisão para cima em 9,7% para este ano (antes era 7,9%) e 4,70% em 2022 (antes era de 3,75%).

Inflação maior, benefícios maiores

Com projeção de inflação maior para este ano, a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia vai alterar a base de cálculo dos benefícios e aposentadorias do INSS. O indexador é o INPC (e não o IPCA) que deve fechar o ano em 10,04%, elevando em 1,64 ponto percentual em relação a última projeção que foi feita em setembro. Confirmando esta projeção o salário mínimo passaria em 2022 para R$ 1.210 diante do dos atuais R$ 1.100. Já o valor máximo de aposentadorias iria para R$ 7.079,50. Atualmente é de R$ 6.433,57.

Preocupações com Orçamento da União

Os investidores continuam preocupados com a questão fiscal. A afirmação de Bolsonaro indicando que uma vez aprovada a PEC dos Precatórios os servidores federais teriam aumento salarial não foi bem recebido pelos agentes econômicos. O gasto atual de salários é de R$ 300 bilhões por ano. Aumentar os salários em 5%, por exemplo, implicaria em um custo adicional de R$ 15 bilhões por ano. A conta não vai fechar ao final. Não é hora de aventura fiscal.

Black Friday

Na próxima sexta, será o dia "D" da Black Friday. Com inflação elevada a projeção é que as vendas terão queda real, ou seja, haverá aumento nominal, mas quando descontada a inflação no período, a variação será negativa. A projeção é que movimento seja de R$ 3,93 bi representando 3,8% a mais em relação ao ano passado. Com inflação acumulada de 10,67% em 12 meses, não haverá reposição da mesma.

Dicas para realizar boas compras (1)

Para conseguir realizar seu sonho de consumo, listamos dicas para as compras promocionais na Black Friday. Dica 1: Faça uma lista. Ter clareza de quais produtos que você deseja comprar é fundamental para não cair na armadilha do que é barato eu compro. Dica 2: Estabeleça uma meta de gastos. Mesmo que os descontos sejam tentadores, o limite de gastos é seu orçamento doméstico. Dica 3: Compare os preços. É preciso fazer pesquisas e comparar preços. Assim você certeza de que os descontos são reais. Dica 4: Não se esqueça do cashback. Muitas lojas estão oferecendo dinheiro de volta (cashback). Dica 5: Veja o valor do frete. Um produto barato com frete alto, pode não ser uma compra tão atrativa assim.

Dicas para realizar boas compras (2)

Dica 6: Cuidado com os produtos muito baratos. Desconfie quando o desconto é muito alto. Fraudes são comuns neste período. Dica 7: Utilize cupons de desconto: isso eleva o valor do desconto. Dica 8: De olho nas redes sociais. Muitas promoções chegam via Facebook, Instagram e Twitter. Dica 9: Procure sobre as políticas de trocas e devoluções. Ao ocorrer algum imprevisto saiba a política de troca ou devolução. Lembrando que compras a distância têm previsão legal do arrependimento que se dá em até 7 dias úteis do recebimento do produto. Dica 10: Evite agir por impulso. Use o racional no momento da compra.

Décimo terceiro vem aí

O setor privado tem até o dia 30 de novembro para pagar a primeira parcela do décimo terceiro salário. O valor é de 50% do salário, proporcional ao tempo trabalhado no ano. Assim, quem trabalha legalmente desde janeiro deste ano, terá metade de seu salário mensal. Quem trabalha há menos tempo, o valor será proporcional. Como nesta parcela não há incidência dos tributos, como INSS e Imposto de Renda (quando for devido) o montante será maior do que a segunda parcela.

Mude já, mude para melhor!

Com o reducionismo dos debates em todos os campos, alerto para não se deixar levar pelos medíocres, ou seja, por pessoas pouco capazes, sem qualquer talento, que, de modo geral, ficam aquém das outras ou que, num dado campo de atividades, não conseguem ultrapassar ou mesmo atingir a média. A maioria deles é tóxica. Mude já, mude para melhor!

Ler matéria completa

×