Bauru

Reinaldo Cafeo

PIB brasileiro cai 0,1%

05/12/2021 - 05h00

O IBGE apontou que o Produto Interno Bruto brasileiro teve retração de 0,1% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com o trimestre anterior. Como o segundo trimestre também ocorreu retração (0,4%) no economês tem-se a recessão técnica (quando dois ou mais trimestres consecutivos retraem). Os dados do IBC-Br do Banco Central, considerados prévia do PIB, já indicavam que o resultado poderia ser mesmo negativo.

Mais detalhes do PIB

Na comparação com o terceiro trimestre do ano passado o PIB aponta alta de 4,0%. O mercado projetava 4,2%. A geração de riqueza de agora é semelhante ao que era gerado em 2019, antes da pandemia, porém, operamos em níveis de 2014.

Resultados pelo lado da oferta

Medir o PIB pelo lado da oferta é totalizar o desempenho pelos setores da economia. Neste recorte a agropecuária (setor primário) acabou decepcionando: queda de 8% sobre o trimestre anterior. O fim da safra de soja impactou negativamente no setor. Vale destacar que a base de comparação do setor primário é mais elevada do que os outros setores. Já a indústria (setor secundário) manteve o mesmo nível de desempenho do trimestre anterior, portanto, crescimento zero. O setor de serviços (setor terciário) avançou 1,1% no período.

Resultados pelo lado da demanda

Tendo o mesmo resultado do valor apurado pela oferta, analisar pela demanda, é considerar a soma do Consumo das Famílias, dos Investimentos, dos Gastos do Governo e o resultado da Balança Comercial. Por este prisma os resultados são os seguintes: Consumo das Famílias: alta de 0,9%; Investimentos: retração de 0,1%; Gastos do Governo: alta de 0,8%; Exportações: retração de 9,8% e Importações: queda de 8,3%.

Fracos desempenhos

A queda do PIB do terceiro trimestre deste ano foi puxada pelo fraco desempenho da agropecuária, como colocado, queda de 8%. As exportações de bens e serviços também tiveram fraco desempenho com queda de 9,8%. Lembrando que o setor primário representa em torno de 10% do PIB, o setor secundário 20% do PIB e o setor terciário 70% do PIB. O Consumo das Famílias concentrou seus gastos em serviços. A preocupação é com a queda dos Investimentos em 0,1%, que também caiu no trimestre anterior em 3%. Os Investimentos é que geram emprego e renda.

O Brasil e outros países

No mesmo período, ou seja, no terceiro trimestre deste ano o comparativo do Brasil com outros países é a seguinte: Colômbia 5,7%; Chile 4,9%; França 3,0%; Itália 2,6%; Estados Unidos 2,1%; Espanha 2,0%; Alemanha 1,8%; Reino Unido 1,3%; Canadá 1,3%; China 0,3%; Brasil (-) 0,1% e Japão (-) 0,8%.

Queda nas expectativas

Com este resultado as apostas para este ano é que o desempenho do PIB no ano fechado, comparando com o ano passado, atinja algo próximo a 4,5%. As projeções iniciais apontam mais de 5%, mais próximo de 5,5%. Lembrando que a base de comparação, o ano passado, é precária devido ao ápice da pandemia. Para o ano que vem o crescimento provavelmente fique em menos de 1%, mas próximo do 0,5%.

Semana de COPOM

O Comitê de Política Monetária (COPOM) tem reunião nesta semana. Tem início na terça-feira e termina no dia seguinte. Após as 18h da quarta-feira será conhecida a taxa básica de juros, que será taxa de virada de ano. Com inflação acima de 10% para este ano, seria plausível alta de 2 pontos percentuais, atingindo 9,75% ao ano. Como a economia retraiu por dois trimestres seguidos, pode ser que a decisão dos membros do COPOM seja de alta de 1,5 ponto percentual, neste caso atingindo 9.25% ao ano. Vamos acompanhar.

Mude já, mude para melhor!

As redes sociais se de um lado nos ajudam nas reações instantâneas, por outro, traz agressividade e intolerância. Há até aqueles que querem opinar até na forma que as pessoas devem trabalham, esquecendo sua formação e o modelo de negócio escolhido. Menos! Mude já, mude para melhor!

Ler matéria completa

×