Bauru

Reinaldo Cafeo

IPVA: início do pagamento nesta segunda-feira

09/01/2022 - 05h00

Na coluna da semana passada trouxemos as opções de pagamento do IPVA no Estado de São Paulo para este ano. Abordamos em detalhes as condições de desconto, juros embutidos e prazo de pagamento. Como o início de pagamento é amanhã, vamos reforçar as opções e a visão financeira deste pagamento. Importante: o vencimento de amanhã, dia 10, é para veículos com placa final 1. Na terça-feira final 2 e assim sucessivamente, até chegar no último pagamento, placa final zero, em 21 de janeiro.

Reforçando as opções

O Governo do Estado de São Paulo neste ano oferece as seguintes opções: pagamento a vista em janeiro com desconto de 9%; pagamento em única parcela com desconto de 5% em fevereiro; pagamento em 5 parcelas sendo a primeira em fevereiro com desconto de 5% em cada parcela.

Pagar a vista é a melhor opção

Para quem tem dinheiro disponível até mesmo em aplicações financeiras consideradas conservadoras (renda fixa), como é o caso da caderneta de poupança, a melhor opção é utilizar este dinheiro e efetuar o pagamento a vista. Fazendo isso o contribuinte deixa de pagar 4,40% de juros no comparativo com a opção de pagar de uma única vez em fevereiro com 5% de desconto, e 1,45% ao mês no comparativo com parcelamento em 5 vezes com desconto de 5% em cada parcela.

Não tenho dinheiro para pagar a vista, o que faço?

Caso você não possua recursos disponíveis para pagar em janeiro, nem pense em emprestar dinheiro do banco. Os juros do financiamento, somando IOF e taxa de juros certamente serão maiores do utilizar as opções do Governo do Estado. Neste caso a melhor opção é entrar mesmo no parcelamento em 5 vezes. A pior decisão é pagar em fevereiro mesmo com os 5% de desconto. Fica a dica final: não deixe de pagar o IPVA, porque além da multa e juros, você ainda andará irregularmente com o veículo.

IGP-DI fecha o ano em 17,74%

É dada importante ênfase ao IGP-M, contudo, o índice da FGV que reflete a inflação do mês fechado é o IGP-DI. Possui a mesma metodologia do IGP-M (Preços ao Produto com peso de 60%; Preços ao Consumidor com peso de 30% e Preços da Construção Civil com peso de 10%); mudando o período de coleta dos dados, neste caso entre o primeiro dia do mês até o último dia do mês, comparando com idêntico período do mês anterior. Lembrando que o IGP-M mede a inflação entre os dias 21 de um mês e dia 20 do mês seguinte (compara idêntico período do mês anterior). O fechamento de dezembro trouxe índice de 1,25%, acumulando, portanto, 17,74% no ano passado. Com Preços ao Produto com elevação de 1,54% em dezembro, fica evidente que a inflação ao consumidor ainda não terá trégua. Em algum momento este aumento chegará na ponta do consumo.

IPC-Fipe fecha o ano em 9,73%

Medindo a inflação na cidade de São Paulo, o IPC calculado pela FIPE fechou dezembro com alta de 0,57% acumulando 9,73% em 2021. Ficou abaixo das projeções do IPCA, que aponta índice acima de 10% para o ano passado. Lembrando que o IPCA é a inflação oficial do país.

Produção industrial cai 0,2% em novembro

Este dado é o mais recente e aponta para retração do setor industrial brasileiro. É o sexto mês de retração da indústria, deixando o setor 4,6% menor do que o período pré-pandemia. Este dado reforça a leitura de que o quarto trimestre do ano passado pode ter menor crescimento econômico, convergindo para a leitura que no ano fechado de 2021 o PIB brasileiro crescerá em torno de 4,5%.

Saia da zona de conforto

Quem cuida das suas finanças é você, portanto, nem pense em ficar na zona de conforto. Não fez o planejamento deste ano ainda? Então não perca mais tempo. Sua guinada nas finanças do lar depende somente de você. Assuma controle financeiro de sua casa.

Mude já, mude para melhor!

Quando tudo aparenta ser uma tempestade perfeita, respire, se inspire, e busque força no Deus em que você acredita. Seja firme, convicto e ultrapasse de cabeça erguida as adversidades que se apresentam. Mude já, mude para melhor!

Ler matéria completa

×