Bauru

Reinaldo Cafeo

Inflação: desacelerando

29/05/2022 - 05h00

A prévia da inflação, o IPCA-15 desacelerou para 0,59% em maio e ficou 1,14 ponto percentual abaixo da taxa de abril (1,73%), com recuo do preço da energia graças à alteração da bandeira tarifária para verde. Ainda assim, é a maior leitura para o mês desde 2016 (0,86%). No ano, o IPCA-15 acumula alta de 4,93%. O acumulado dos últimos 12 meses é de 12,20%. E a alta de preços segue generalizada. E o IPC-Fipe, que me inflação em São Paulo, desacelerou também a 0,76% na terceira leitura de maio, ante 1,04% do resultado anterior.

Juros nos Estados Unidos

O grande destaque da semana passada foi a ata do Fomc. Os EUA prosseguirão no processo de aumentar a taxa de juros pelo menos nas próximas duas reuniões do FOMC (sigla para o Comitê de Política Monetária do Fed, o banco central dos EUA), cada uma delas em meio ponto percentual. Assim, o país chegará ao fim de agosto com a taxa no intervalo entre 1,75% e 2% ao ano. A alta tem o objetivo de combater o avanço da inflação no país, pressionada pelo excesso de atividade econômica registrada após o controle da pandemia de covid-19 e pela guerra entre Rússia e Ucrânia.

É preciso investir em educação financeira

Quando o grosso da população tem educação financeira abre-se um leque de opções para rentabilizar mais o dinheiro. Com a desbancarização do sistema financeiro nacional, as agências que operam no mercado financeiro se proliferaram e há muitas oportunidades para investir, que vão desde fundos, até letras de câmbio, passando pelo mercado de ações. É preciso dedicar um tempo do dia para entender ou menos ouvir de especialistas as opções, para que, ali na frente, alcance maiores ganhos com seu dinheiro. Quando isso não acontece, a zona de conforto é focar na velha e conhecida caderneta de poupança. Quanto maior o valor aplicado maior a perda anual. Vale a pena dar uma paradinha e analisar outras opções no mercado.

Em clima de festa junina dê foco no orçamento doméstico

O mês de junho se aproximando, portanto estaremos em clima de festa junina, desta maneira aproveite e utilize a técnica "50, 15, 35". Organize os dançarinos da quadrilha, colocando cada um em seu lugar, para uma apresentação ímpar. Metade de sua renda líquida canalize para gastos essenciais, logo em seguida destine 15% para prioridades financeiras e finalmente limite em 35% ou menos seus gastos com o estilo de vida.

Para chegar lá, cada um no seu quadrado

Coloque cada item no seu quadrado na organização financeira: o controle no cartão de crédito; a saída do cheque especial; o controle dos gastos com filhos; economizar nas compras do supermercado; canalizar recursos para previdência privada; analisar alternativas a caderneta de poupança; fazer boas escolhas para criar valor. Com bom controle financeiro de sua casa sua festa junina será de primeira e não tenha dúvida que o resultado será aumentar sua qualidade de vida. Aproveite o clima de festa junina e priorize a gestão de seu dinheiro.

Cheque especial e cartão de crédito

Tenho insistido nestes temas porque infelizmente a constatação é que o brasileiro, na média, não sabe a dimensão dos juros que paga nestas modalidades de crédito. Tanto o cheque especial como o cartão de crédito cobram juros acima de 10% ao mês. Isso significa, no mínimo, 213,8% ao ano, mas a realidade é que os juros médios podem atingir 350% ao ano. Compare este patamar com o seu reajuste salarial que não passará de 8% a 10% ao ano. No caso funcionalismo público o reajuste tende a ser menor ainda. Não dá, não é? Então dê um jeito e cubra os limites destas modalidades e não entre mais no rotativo. Se continuar pagando juros nesta magnitude é dar um tiro no próprio pé.

Mude já, mude para melhor!

Quer uma dica para melhor o seu dia? Evite conviver, dialogar, e até ouvir pessoas negativas. Sabe àqueles que quanto pior, melhor? Então, se você evitar conviver com essas pessoas, seu dia será mais leve e certamente bons fluidos virão. Pessoas tóxicas: evite-as! Mude já, mude para melhor!

Ler matéria completa

×