Bauru

Wagner Teodoro

Sete homens e um destino

16/05/2021 - 05h00

Richarlyson, Pablo, Igor Pimenta, Guilherme Teixeira e Pedro Felipe são destaques indiscutíveis do Noroeste. Eles formam uma "espinha dorsal" da equipe. Richarlyson é o dono do time. Onipresente em campo, é uma potência física e técnica. Apoia, recompõe, lidera, organiza, tem a bola parada… Enfim, é o comandante alvirrubro em campo. Tudo isso aos 38 anos. Pablo é seguro, o goleiro que não preocupa a torcida e vira e mexe faz uma grande defesa, às vezes salva o time de um tropeço, em outras, garante que a defesa termine sem ser vazada. Igor Pimenta é muito técnico, erra poucos passes, tem visão de jogo, faz tudo parecer simples com estilo econômico em campo. Não tem medo de finalizar e o faz bem. Além disso, tem bom posicionamento e é perigoso na bola aérea. Pedro Felipe é oportunista, veloz e tem um fôlego sem fim. Não se esconde do jogo e no mano a mano é difícil de segurá-lo. Guilherme Teixeira é líder e grande referência na defesa. Além do poder de contenção, é presença constante e ameaça real quando sobe ao ataque.

Mas não é sobre os cinco que escrevo. Para chegar ao acesso nesta Série A3 em um ano tão atípico, uma temporada de jogos a cada 48 horas, que testa limites físicos, técnicos, financeiros e logísticos, é preciso muito mais do que quatro destaques. É necessário mais que um time. É fundamental um elenco equilibrado, que ofereça opções. Com os desfalques que o Norusca vem sofrendo, outros nomes assumem responsabilidades e se destacam também. Sete homens parecem ter o destino de ajudar o clube no sonho da promoção. A começar pelos laterais. Carlinhos é apoiador. Uma válvula de escape pela direita, com bom cruzamento e bola parada. Já deu assistências. Bruno Recife, na outra lateral, é mais discreto. Como joga do mesmo lado de Richarlyson, que avança bastante e atua praticamente como um ponta aberto em determinados momentos, apoia menos o ataque. Mas é um jogador crucial para o equilíbrio defensivo do time. Erra pouquíssimo. É experiente e uma das vozes do grupo no vestiário. Blade é um motorzinho. Polivalente, já foi volante, lateral e zagueiro. Força física, imposição, vigor, velocidade. Jogador imprescindível, tanto na defesa quanto no ataque. Jonatas Paulista joga muito. Mas joga para o time. Cumpre função tática importante, é mais um atleta várias vezes discreto em campo, mas tem a confiança do técnico Luiz Carlos Martins não sem razão.

Vieram do banco

Com as dificuldades para escalar o time devido ao acúmulo de cartões e por causa de atletas vetados pelo departamento médico por lesão e Covid-19, o reforço de quem estava na reserva vem sendo decisivo para o Noroeste se manter firme na briga pela liderança geral e continuar no G4, objetivo da comissão técnica. Leleco entra bem em todas as partidas. Tem o recurso do drible e da velocidade, quebra defesas. É um cara que renova o gás do time e espécie de arma oficial de Martins para colocar fogo nas partidas. John Egito possui muita personalidade. Chama o jogo, tem recursos técnicos, lançamentos e qualidades de um bom criador, além de contruibuir defensivamente. Maranhão entrou com muita moral. Preciso na bola parada, contribui na recomposição e na armação de jogadas. Os três são jogadores do mesmo nível de quem vinha começando os jogos. Têm status e qualidade de titulares do Noroeste.

Grupo ganha campeonato

O Noroeste não sobra na primeira fase da A3 desta temporada como fez em 2020. Mas, insisto, o campeonato deste ano demanda um sacrifício absurdo dos clubes. As baixas são constantes, a exigência física é cruel. Se pensarmos que os times que disputam a Terceirona não possuem os recursos da elite do futebol brasileiro - e também quem está nas competições máximas sofre -, é louvável o que o Norusca vem fazendo em condições de trabalho para lá de adversas. Mesmo tendo que modificar escalação rotineiramente, o time oscila pouco, mostra uma proposta de jogo definida e tem, além de quatro jogadores que são um esteio da equipe, sete homens parecem ter um destino: serem fundamentais ao acesso.

Ler matéria completa