Bauru

Wagner Teodoro

Transpiração, inspiração e superação

24/04/2022 - 05h00

O Noroeste se encontra onde projetou e trabalhou para estar: classificado para as semifinais da Série A3 do Campeonato Paulista. A verdadeira final da competição é agora. São dois jogos para a realização de um sonho, duas partidas colocando em campo planejamento e aspirações não só de uma temporada, mas todo um processo que o clube vem pondo em prática há algumas temporadas, com manutenção da comissão técnica e de uma base de jogadores. A hora da verdade chegou.

E não foi fácil a caminhada no quadrangular para atingir esta fase da Terceirona. O início da segunda fase foi ruim e o Norusca teve que mostrar muita transpiração para sair de lanterna para se classificar como líder da chave. Aliás, transpiração nunca faltou a este grupo. Dedicação, empenho, comprometimento... são qualidades incontestes deste Alvirrubro. Inspiração, no quadrangular, às vezes, escasseou. Mas entrou a superação em campo e o time deu a volta por cima. Difícil fazer o que o Noroeste fez. Lidar com pressão da necessidade do resultado, da ameaça de não avançar, e corresponder.

E, convenhamos, seria um pecado o Noroeste ficar fora das semifinais da A3. Pela campanha que faz, pelo grupo que tem. Quando o time oscilou, os "deuses do futebol" ajudaram, os resultados favoreceram e a equipe bauruense chegou à rodada decisiva precisando apenas de si e jogando em casa (mérito da ótima campanha na primeira fase). Excelente situação. O jogo contra o Capivariano foi pedreira. O primeiro gol de Luiz Thiago, após cobrança de escanteio no primeiro tempo, abriu caminho para um Noroeste, com a lembrança fresca do empate com o EC São Bernardo em 2 a 2, após vantagem de 2 a 0, mais fechado, se precavendo, reativo. O tempo passou, o jogo ficou tenso, muitos erros de ambos os lados. O Norusca buscando um contra-ataque letal, que só surgiu no finalzinho, em jogada de velocidade e cruzamento que Luiz Thiago escorou: 2 a 0.

Foi nítido o alívio dos jogadores em campo. Foi sintomática a comemoração de Luiz Carlos Martins à beira do gramado. Um técnico calejado, com carreira vitoriosa, mas que vivia a pressão de classificar o clube de sua cidade para o momento mais importante da temporada. Bonito ver um cara com longa trajetória vibrando, se emocionando com o tal futebol. A torcida também sorriu, após um quadrangular todo tenso. O Noroeste deixou o campo vitorioso, classificado e líder.

"Inimigo íntimo"

A "final" do Noroeste vai ser contra um adversário duro. O EC São Bernardo é o último obstáculo no caminho da promoção de divisão. Trata-se de um "inimigo íntimo", pois o time do ABC estava no grupo do Norusca na segunda fase e as equipes vão completar cinco confrontos diretos nesta Série A3. E o EC São Bernardo tem sido um adversário indigesto para o Norusca na temporada. Em três duelos até aqui, o Alvirrubro não ganhou ainda, sendo que jogou duas vezes em casa. Perdeu na primeira fase por 1 a 0, no Alfredão. E, no quadrangular, foram dois empates, 0 a 0, em Bauru, e 2 a 2, fora.

Chegou a hora que mais importa, o momento de vencer, de subir. Não pode faltar transpiração e será preciso boa dose de inspiração e uma pitada de superação. A decisão é novamente em casa. Em um confronto de 180 minutos, é fundamental trazer um resultado que abra boas perspectivas para garantir o acesso diante dos milhares de noroestinos que certamente estarão no Alfredão.

Confirmação, decepção e frustração

Comercial e Votuporanguense também estão nas semifinais e se enfrentam por vaga na final e acesso. Os quadrangulares foram marcados por confirmações e decepções. Comercial e Noroeste sacramentaram as previsões e avançaram em primeiro lugar em suas chaves. Com caminhos bem diferentes, é verdade.

O Norusca enfrentou um grupo bem mais equilibrado. E passou com superação. O time de Ribeirão Preto sobrou e garantiu a vaga antecipadamente.

Os quadrangulares tiveram ainda uma decepção: o São José. Terceiro na fase de classificação, o time joseense não venceu nenhum jogo e terminou em uma melancólica lanterna. Foi de cotado para semifinais à fiel da balança em seu grupo. E, pelas circunstâncias, fica ainda a frustração do Capivariano, que fez caminho contrário ao do Noroeste e foi da liderança à lanterna da chave.

Ler matéria completa

×