Bauru e grande região

11/09/2019 - 06h00

Ambiental

A Câmara teve uma terça-feira (10) de muita discussão sobre dois importantes assuntos da área ambiental, com a chegada do projeto de concessão do lixo e a audiência pública da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). No caso da ETE, a possibilidade de instauração de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) vem sendo muito comentada.

'Cheque'

Já o projeto de lei que autoriza a concessão ou uma Parceria Público Privada (PPP) do lixo é vista por vereadores como um 'cheque em branco', pois não há detalhes sobre o formato, custo ou mesmo criação de taxas. O prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD) diz que precisa da aprovação para permitir a parte final do estudo técnico de viabilidade e então um outro projeto detalhado será encaminhado.

Taxa?

A possibilidade de uma taxa do lixo não estaria em pauta ainda, mas a concessão ,dependendo do modelo adotado, pode gerar uma cobrança. A prefeitura trabalha com a intenção de não ter que criar mais uma despesa, uma vez que, além de impopular, dificilmente conseguiria apoio na Câmara Municipal.

Oração

O vereador Manoel Losila (PDT) chegou a fazer o sinal da cruz quando o presidente do DAE, Eliseu Areco Neto, falava que acredita ser possível terminar a ETE no ano que vem, durante a audiência pública. Areco percebeu o gesto do parlamentar e disse que uma oração é sempre bem-vinda.

Difícil

Logo na abertura dos trabalhos, Losila afirmou que não acredita na possibilidade de a obra ser entregue ainda neste mandato. Prefeitura e DAE não apresentaram prazos específicos e ficou evidente que, de fato, será muito difícil ter a construção finalizada em pouco mais de um ano, após sucessivos atrasos.

Refis

O projeto de lei do Refis tem como relator na Comissão de Justiça o vereador Coronel Meira (PSB), que pediu o parecer das consultorias Financeira e Jurídica da Câmara. Outro projeto é o da revisão das Taxas de Fiscalização de Estabelecimentos (TFE), com Natalino da Silva (PV) como relator.

Alerta

A manchete do JC do último domingo (8) sobre o alto risco de epidemia de dengue vem sendo usado por equipes da vigilância epidemiológica. Nesta semana, em visita a casas em regiões onde há suspeita de casos, fiscais levaram a capa do jornal para mostrar que a doença continua mesmo no inverno, pois muitas pessoas diminuíram a preocupação após os dias frios.

Ler matéria completa