Bauru e grande região

02/10/2019 - 06h00

Armas

No começo da sessão de segunda-feira, os vereadores discutiram as mortes violentas ocorridas na região, recentemente. Em seu discurso, Sandro Bussola (PDT) criticou a decisão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em ampliar o porte de armas. Em seguida, Coronel Meira (PSB) rebateu e afirmou que a medida ainda não começou a valer. Ele, contudo, já afirmou que é contra a ampliação do porte de armas de fogo.

Anticrime

No mesmo assunto, Chiara Ranieri (DEM) pediu aos vereadores que olhem para o problema dentro de Bauru, como o caso envolvendo uma equipe da Ronda Escolar na semana passada e que terminou com a morte de um jovem. Meira aproveitou e pediu a aprovação do pacote anticrime na Câmara Federal.

Rebateu

Bussola então rebateu e partiu para o campo ideológico, lembrando que se o pacote ainda não foi votado, quem deve ser cobrado é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, do DEM. Após o embate, outros assuntos ganharam espaço, mais voltados a temas do município, como a situação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Vargem Limpa e o pedido de financiamento de R$ 46,6 milhões.

Faltando

O projeto da Lei Orçamentária Anual de 2020 está na Câmara Municipal, mas começará a tramitar apenas na semana que vem. A Secretaria de Obras, apesar de ter R$ 83 milhões, pode não conseguir cumprir os investimentos. A verba da pasta cresceu apenas pelo fato de o contrato dos cemitérios ter ido para a Obras - antes ficava na Sebes. Já esta última teve redução justamente por conta desta alteração.

Buraco

Na composição do Orçamento, a Secretaria de Obras pediu R$ 78 milhões, só que o valor ficou em R$ 73 milhões. Esse será o montante 'real' da pasta e se a diferença de R$ 5 milhões continuar em aberto, parte dos investimentos previstos em obras não deve acontecer.

Dívidas

Em seu último ano de mandato, o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD) terá pouca verba para investir. Os encargos vão crescer 31,9%. Só os precatórios chegam a R$ 36 milhões e o aporte previsto na Cohab em R$ 20,4 milhões. Ainda tem mais R$ 31 milhões em dívidas parceladas, como a federalizada. Só essas despes já consumirão R$ 87 milhões.

Emenda

O vereador Miltinho Sardin (PTB) anunciou que o deputado federal Rodrigo Agostinho (PSB) vai liberar emenda parlamentar de R$ 700 mil para o recape de ruas, atendendo a um pedido de Sardin. Ele já passou ao deputado a relação de ruas que receberão o investimento.

 

Ler matéria completa