Bauru e grande região

09/11/2019 - 04h09

INDEFINIDO

O prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD) falava em definir nesta sexta-feira (8) se concederia o reajuste pedido pelo DAE na tarifa de água. Contudo, ele adiou a decisão para o começo da semana. Ao JC, alegou que precisa analisar com mais profundidade o estudo da autarquia que solicita o aumento de 2,89%, índice da inflação acumulada.

SEM RUMO

Provocada pelo vereador Sandro Bussola (PDT), a audiência pública sobre os impactos de renovação da concessão da ferrovia terminou em tom de frustração. A Rumo não apresentou projetos, estudos e nem mesmo disse o quanto pretende investir na cidade, se tiver a concessão estendida para até 2058. O procurador André Libonati ameaça ingressar com ação civil pública por obrigação de não fazer contra as atividades da Rumo se não houver detalhamento. Leia mais na página 4.

IRONIA DO DESTINO?

Assim como o Ministério Público Federal, representantes do Executivo na audiência pública cobram da Rumo um estudo e projeto mais detalhado do que pretende construir na cidade, caso tenha a concessão renovada por mais 30 anos. Por ironia do destino ou coincidência, o Executivo é cobrado pelo Legislativo por detalhar melhor com projetos e estudos onde pretende aplicar o financiamento de R$ 46,6 milhões.

ELEITORAL

Na noite da última quinta-feira, uma reunião no escritório de Raul Gonçalves Paula analisava números de uma pesquisa eleitoral. Outros pré-candidatos a prefeito participaram, como Fábio Manfrinato (PP), Arnaldo Ribeiro (Cidadania) e Rodrigo Mandaliti (MDB). Os vereadores Chiara Ranieri (DEM), Manoel Losila (PDT) e Sandro Bussola (PDT) também estiveram, apurou a coluna.

SKAF APOIA

Em sua passagem por Bauru na tarde desta sexta-feira, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, declarou apoio a Rodrigo Mandaliti, pré-candidato a prefeito pelo MDB. O vereador Manoel Losila também participou da vistoria nas obras do novo ginásio do Sesi do Horto Florestal (leia na pág. 10). Skaf ainda participou de palestra com lideranças no Ciesp.

RECOMEÇO

Paralisado desde de maio, o PAC Asfalto no Santa Edwirges deve ser retomado em até dez dias. O prazo foi acordado com Penascal Engenharia. A empresa também requereu à administração municipal aditivo de R$ 1 milhão para serviços de drenagem. O valor foi autorizado pela Caixa. Enquanto isso, a Secretaria de Obras autorizou o reinício dos trabalhos onde a drenagem não é empecilho. A conclusão deve ocorrer só no começo do ano.

Ler matéria completa