Bauru e grande região

28/11/2019 - 06h00

Fundação

A empresa Arcadis confirmou em reunião nesta quarta-feira (27), no Ministério Público de São Paulo, que não realizará o Acompanhamento Técnico de Obra (ATO) na construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Com isso, prefeitura e DAE devem recorrer à contratação de uma fundação ou empresa pública para o ATO, pois caso abra licitação o prazo vai demoraria ainda mais.

Audiência

O encontro foi acompanhado pelo presidente da Comissão de Obras da Câmara, Manoel Losila (PDT), que marcou audiência pública na terça-feira, às 15h. O secretário de Obras, Sidnei Rodrigues, e o presidente do DAE, Eliseu Areco Neto, são esperados. Já no MP, nova reunião está prevista para janeiro. O município segue com a estimativa de conclusão da ETE para o final do ano que vem.

Lotadas

As comissões da Câmara estão analisando um grande volume de projetos neste final de ano, pois restam apenas duas sessões ordinárias. Alguns projetos já foram liberados nas Comissões de Justiça e de Economia, como as transposições no Orçamento - a maior é de R$ 28,2 milhões - e a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2020. Também tiveram parecer pela normal tramitação o projeto que altera o zoneamento de uma área entre o Jardim Imperial e Chácaras Cardoso, e a criação do Conselho Municipal da Juventude.

Alça do Viaduto

A novela envolvendo a interdição da alça de acesso do viaduto João Simonetti parece ter avançado mais um capítulo. Na última terça (26), uma consultoria de São Carlos esteve no local junto com representantes do Executivo para analisar de que forma se dará o reparo. Em análise preliminar, foi cogitado que o serviço seria mais simples do que o esperado e a que a interdição nem mesmo seria necessária. Eles voltarão ao viaduto nesta sexta (29), às 9h.

Informações

O vereador Coronel Meira (PSB) pediu parecer da Consultoria Administrativo-Financeira da Câmara, como membro da Comissão de Justiça, no projeto do financiamento de R$ 46,6 milhões. Se ainda restarem dúvidas, ele encaminhará ao Jurídico da prefeitura e ao Senado, por conta de Resolução que limita o índice de endividamento dos municípios.

Finalmente!

A prefeitura concluiu licitação para contratação de empresa que fará a recuperação dos dados em arquivos digitais, que estão inacessíveis desde maio, portanto, há seis meses. A Digital Recovery Tecnologia Ltda venceu pelo valor de R$ 200 mil. O preço e a empresa são os mesmos de quando houve tentativa de contratação por dispensa de licitação, em julho deste ano.

Ler matéria completa