Bauru e grande região

07/01/2020 - 06h00

Suspensa

A Prefeitura de Bauru suspendeu a licitação que aconteceria nesta terça-feira (7) para a contratação de empresa para informatização de sistemas na Seplan. Houve impugnação do edital e com isso uma nova data terá que ser marcada. A pasta tenta dar mais agilidade a processos de regularização de obras e outros procedimentos que envolvem a secretaria e algumas pastas do governo municipal.

Carro forte

O vereador Roger Barude (Cidadania) pede que a Emdurb faça um estudo para a demarcação de vagas para carro forte em frente a bancos, especialmente na região do Centro, pois muitas vezes os veículos param na faixa que deveria ficar livre para o trânsito. Na avaliação de Barude, a reserva de vagas é simples e ajudaria a solucionar o problema.

Voltando

Nesta terça-feira (7), termina o recesso da Justiça e do Ministério Público. Com isso, também serão retomadas as investigações do Gaeco na Operação 'João de Barro', que apura irregularidades na Cohab de Bauru. A companhia teve troca de comando após as investigações, com a saída de Edison Bastos Gasparini Jr., assumindo como presidente Arildo Lima Jr.

Acompanhando

Desde que entrou no cargo, Arildo Lima Jr. promete dar transparência ao processo de fechamento da Cohab. Ele afirma que está ainda se inteirando da situação da companhia e que mensalmente pretende fornecer informações para a Câmara e o MP. A liquidação da empresa deve começar rapidamente, após determinação do prefeito Gazzetta no final do ano passado.

Preocupação

Coordenadores de modalidades esportivas estão preocupados com a extinção de 18 cargos, atingindo praticamente todo o esporte local. Alguns estimam que até seis mil alunos podem ficar sem aulas. O assunto já foi debatido no ano passado, mas na época o prefeito Clodoaldo Gazzetta retirou o projeto. O tema voltou pois um novo projeto foi para a Câmara alternando o organograma, já incluindo o encerramento dos cargos do esporte.

Apertado

As vagas até poderão ter preenchimento via concurso, porém neste ano há limitação por conta das eleições. Como nem houve nenhuma prova e as nomeações de servidores podem ocorrer até maio, se os atuais coordenadores forem exonerados muitos cargos ficariam sem nenhum coordenador. A Câmara deve acompanhar o caso de perto, uma vez que muitos parlamentares estão sendo procurados pelos coordenadores esportivos desde o ano passado por conta da dificuldade.

Ler matéria completa