Bauru e grande região

 

21/05/2020 - 06h00

Templos e salões

Após pedidos de pastores, incluindo cinco vereadores, o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB) deve publicar instrução normativa para a reabertura de igrejas e templos religiosos. Ele argumenta que, além da União, há respaldo do Estado neste caso. Porém, o governo federal também já declarou que salões de beleza e academias entram como atividades essenciais. Mas o prefeito disse que há uma proposta para estes segmentos, ainda em avaliação do Jurídico, pois há restrição estadual.

Mais agilidade

A sessão extraordinária da Câmara, ontem, teve de novo pedidos de mais agilidade na abertura dos leitos, especialmente de UTI. As cobranças vieram de Coronel Meira (PSL), Sandro Bussola (PSD) e Natalino da Silva (PV). Outros entendem que o município também precisa ter uma autonomia maior em relação ao Estado, pontuações feitas por Manoel Losila (MDB) e José Roberto Segalla (DEM) na sessão.

Cemitérios

Ainda em seu discurso, Coronel Meira falou sobre a sindicância que apurou as irregularidades em cemitérios, conforme o JC mostrou. Ele voltou a pedir punições, inclusive com a saída de servidores da Emdurb. O parlamentar espera a cópia integral da sindicância.

Ação extinta

Outra informação de Meira na sessão foi a de que a ação movida por Robson Fialho na Justiça, contestando o valor do precatório da floresta urbana, foi extinta. Isso porque já há outra ação em andamento, em segunda instância, de Eduardo Borgo. O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) apresentou relatório dizendo que o valor é bem menor do que o julgado. A Câmara teve uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) sobre o assunto no ano passado.

Argumentos

Na discussão do pedido de Comissão Processante (CP) contra o prefeito, os vereadores Meira e Chiara Ranieri (DEM) defenderam a abertura, enquanto o líder do governo, vereador Markinho Souza (PSDB), defendeu o arquivamento. Os demais que pediram para falar antes de votar afirmaram que não concordam em muitos pontos do atual governo, mas isso não seria motivo para cassação do mandato.

Contudo...

O vereador Edvaldo Minhano (Cidadania) disse ser o mais oposicionista ao prefeito, pois nunca o apoiou, mas que votou contra a abertura pois entende que a decisão será do povo nas urnas. Losila lembrou que é crítico a várias propostas de Gazzetta e nunca 'carregou bandeira' para ele em disputas eleitorais, porém, este não seria o momento de abrir uma CP na Câmara Municipal.

 

Ler matéria completa