Bauru e grande região

 

13/11/2020 - 05h00

Bíblia

O último dia de horário eleitoral na TV e no rádio, ontem, foi de poucas propostas, com os candidatos indo para um apelo mais emocional e citações de passagens bíblicas. Ao usar um direito de resposta, o candidato Raul Gonçalves Paula (DEM) falou uma passagem do livro de João. O prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB) falou de Eclesiastes e Jorge Moura (PT), na internet, citou o livro de Samuel.

E bola

Já o candidato Edu Avallone (Republicanos) tem usado o final da campanha para atingir o eleitorado mais ligado ao futebol. O primeiro a ser mostrado foi Tupãzinho, que atuou no Corinthians, e depois Luís Fabiano, que jogou no São Paulo. Outro que gravou para o candidato foi Carlos Alberto Seixas, que atuou pelo Palmeiras e foi técnico do Noroeste.

Final

Sem a campanha na TV e no rádio, os candidatos pretendem ir de vez para as ruas entre hoje e amanhã. Vários planejam carreatas e passeatas, e devem ir ao Calçadão na manhã de sábado. As caminhadas na periferia e o contato direito com o eleitor também ocorrerão, em busca do voto dos indecisos.

Sobras

Os candidatos a vereador também percorrem a cidade em busca do eleitor indeciso - e é comum que muita gente decida o voto proporcional nos últimos dias. Neste ano, pela primeira vez, partidos que ficarem de fora do quociente eleitoral ainda terão chance de disputar uma cadeira, nas 'sobras', o que antes era restrito a legendas que chegassem ao quociente apenas.

Nova rodada

O total de votos válidos a vereador - destinados a candidatos ou legenda - é dividido pelo número de cadeiras na Câmara, no caso de Bauru, 17 vagas, chegando ao quociente eleitoral. Depois, o número de votos de cada partido é dividido por este quociente, determinando quantas vagas cada legenda terá. Mas como os números nunca são 'inteiros', as sobras são novamente divididas.

Chance

Antes, essa sobra era dividida apenas entre os partidos que atingiram o quociente eleitoral. Agora, os que não atingiram também poderão participar da disputa por uma vaga nesta sobra, lembra o especialista em direito eleitoral Luciano Olavo da Silva, da 23ª Zona Eleitoral de Bauru. Outro dado importante é que, para ser eleito, um candidato precisa ter pelo menos 10% de votos do quociente eleitoral. Portanto, se o quociente for de 9 mil votos, por exemplo, o candidato precisará de pelo menos 900 votos para ficar em condição de pleitear uma das vagas.

 

Ler matéria completa