Bauru e grande região

 

22/11/2020 - 05h00

Ao debate!

A última semana antes do segundo turno será de muitos debates entre os candidatos Suéllen Rosim (Patriota) e Raul Gonçalves Paula (DEM). Dois deles são promovidos pelo JC e parceiros. Na quarta-feira (25), às 20h, com a 96 FM e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Na quinta-feira (26), às 20h45, com a TV e Rádio Unesp, e a TV e Rádio Câmara mais a 87 FM. Boas oportunidades para o eleitor analisar as propostas dos concorrentes. (leia na pág. 4)

Programas

No seu programa de TV do horário eleitoral, ontem, Raul falou principalmente de saúde, com propostas como a criação do Hospital do Idoso e um novo formato na entrega de medicamentos de uso contínuo. Suéllen falou sobre renovação na política e que se considera preparada para o cargo. Já no rádio ambos usaram trechos do debate da TV Band Paulista.

Neutros

O Pros chegou a cogitar dar apoio para a candidata Suéllen Rosim, mas decidiu ficar neutro neste segundo turno. A informação é do presidente municipal da legenda, Joaquim Oliveira, que foi candidato a prefeito no primeiro turno. O Solidariedade também vai manter neutralidade.

Colaboração

De acordo com o presidente municipal, Sérgio Alba, que também concorreu no primeiro turno, o Solidariedade vai colaborar com o vencedor, com diálogo junto aos deputados para obtenção de emendas, caso o prefeito eleito tenha interesse. Ele afirma que o partido não deve ocupar cargos no governo que começará ano que vem.

Definidos

Com as decisões do Solidariedade e Pros, praticamente todos os partidos que participaram do primeiro turno já se posicionaram pela neutralidade, tendência que o JC antecipou no começo da semana passada. Apenas o Republicanos, de Edu Avallone, já fechou apoio e está com Raul. Os candidatos Clodoaldo Gazzetta (PSDB), Jorge Moura (PT), Rosana Polatto (PSB), Sérgio Alba (SD), Joaquim Oliveira (Pros) estão neutros, bem como seus partidos. Renata Ribeiro (PSOL) e Vagner Crusco (PCO) defendem voto nulo.

Em discussões

Já o presidente do PDT, Gerson Pinheiro, afirma que não foi procurado por nenhum dos concorrentes que ficaram para o segundo turno. Ele cita que a legenda não definiu posição ainda. O Podemos e o PSC, que concorreram com Luiz Carlos Valle, ainda não fechou se apoiará alguém, enquanto o PSD, que teve Sandro Bussola como candidato, tem a tendência de liberar os filiados para apoiarem quem desejarem. A definição ocorre amanhã.

 

Ler matéria completa