Bauru e grande região

24/04/2021 - 05h00

Convocação

A Câmara Municipal quer ouvir o secretário de Saúde, Orlando Costa Dias, e o diretor da Divisão de Vigilância Epidemiológica, Ezequiel Santos, após o Jornal da Cidade revelar em sua edição de ontem o caso da auxiliar de enfermagem que vacinou quatro parentes contra a Covid-19. Eles não fazem parte do grupo prioritário e por isso a funcionária foi demitida por justa causa.

Quarta-feira

A convocação foi solicitada à Câmara pelo vereador Eduardo Borgo (PSL). A funcionária terceirizada trabalhava na Unidade de Saúde da Família da Vila São Paulo. O secretário e o diretor devem participar de audiência pública que será realizada na próxima quarta-feira, quando também será debatida a prestação de contas das verbas recebidas por Bauru dos governos federal e estadual, em 2020/2021, e destinadas a Saúde.

E a 'xepa'?

"Além de fiscalizar esse fato, eu quero questionar como isso aconteceu. Como ninguém viu? Como é feita a fiscalização? Será que não está acontecendo em outros casos também?". São algumas das perguntas do vereador. Borgo lembra que já enviou requerimento à prefeitura pedindo a lista das pessoas vacinadas. "Quero saber como é feito o controle do que recebe e do que é gasto, principalmente da sobra (xepa) que tem em algumas embalagens".

Debatendo

Na edição de hoje, a vereadora Estela Almagro (PT), uma das idealizadoras da Frente em Defesa do Serviço Público, responde ao economista Reinaldo Cafeo, que na quinta-feira publicou artigo nesta página afirmando que a nova entidade quer amordaçar a discussão sobre a possibilidade de terceirização de serviços públicos. Leia artigo, aqui ao lado.

Alívio

Nesta sexta-feira, a Prefeitura de Bauru repassou ao Sindicato do Vigilantes o dinheiro que deve ser destinado ao pagamento dos trabalhadores que estavam sem salários, desde o começo deste mês. Cerca de 70 trabalhadores que prestam serviço para a prefeitura em Unidades de Saúde estavam sem receber desde que a empresa que fez a contratação apresentou problemas financeiros.

Costura

O acordo entre a empresa, sindicato e prefeitura foi acompanhado pelo vereador Júnior Rodrigues (PSD). O dinheiro repassado ao sindicato refere-se a pagamentos que a empresa teria direito por serviços prestados à prefeitura e que agora foram endereçados aos trabalhadores contratados.

Ler matéria completa