Bauru e grande região

27/04/2021 - 05h00

Plano de Águas

Na sessão de ontem da Câmara Municipal, a vereadora Chiara Ranieri (DEM) propôs a instalação de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para apurar a composição e execução do Plano Diretor de Águas. Ela afirmou que a proposta não tem interesse em cassar o mandato da prefeita Suéllen Rosim (Patriotas), mas contribuir com o estudo.

'Bacia das almas'

"A gente tem que ter elementos para definir o que é melhor para as pessoas que vivem em Bauru. A CEI teria a função de avaliar a concepção e execução do Plano de Águas. Nós votamos o plano na 'bacia das almas', sem discussão", explicou. Inicialmente, são necessárias assinaturas de seis vereadores para que o pedido de instauração de uma CEI vá a votação em plenário.

'Eu comigo...'

O vereador José Roberto Segalla (DEM) disse que pretende criar a "Frente Parlamentar do Eu Sozinho", para defender o estudo de possibilidade que vem sendo realizado para definir o destino do DAE, Emdurb e outros setores da prefeitura. Segalla disse que irá apoiar o que o estudo apontar como ideal para Bauru, seja a terceirização ou não. "Sou contra serviço que não atende interesse da população, se for para resolver problemas e não criar, vai ter meu apoio", afirmou.

De frente...

Já o vereador Benedito Meira (PSL) novamente definiu sua posição e foi enfático ao criticar a iniciativa da Frente Parlamentar. "A frente vai defender serviço ineficiente, falta da água, vazamentos, 48 % de perda de água tratada?", questionou.

Primeira reunião

Ontem à noite, o Núcleo de Estudos e Concessões realizou a primeira reunião. Participaram, além da prefeita Suéllen Rosim (Patriota), os secretários de Finanças, Everton Basílio; de Obras, Leandro Joaquim; de Administração, Everson Demarchi; de Negócios Jurídicos, Gustavo Bugalho; e o chefe de Gabinete, Patric Teixeira.

Março em dia

A Prefeitura de Bauru fez o pagamento, na sexta-feira (23), do montante de R$ 137.315,60 para os 55 funcionários terceirizados que cuidam da segurança das unidades de saúde do município. O pagamento é referente ao salário e benefícios de vale-alimentação e cesta básica de março. O acordo foi feito após a empresa informar que não teria condições de pagar os funcionários. Com isso, a prefeitura efetivou o pagamento relativo ao último mês ao Sindicato dos Vigilantes de Bauru (Sindivigilância), que fará o repasse aos trabalhadores.

Emergencial

Os serviços serão prestados pela empresa até o mês que vem. A prefeitura deve fazer um contrato emergencial e depois abrir licitação para a contratação definitiva de uma nova empresa de segurança para as unidades básicas de saúde (UBS).

Ler matéria completa