Bauru e grande região

28/04/2021 - 05h00

Ainda a ETE...

A audiência pública realizada na Câmara Municipal de Bauru ontem para debater o andamento da construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Vargem Limpa não trouxe novidades quanto ao cronograma de conclusão da obra, mas serviu para acender novamente o alerta sobre o problema.

De perto

Vereador Mané Losila (MDB), que convocou o encontro, avaliou que o evento foi positivo porque, de posse do cronograma das obras apresentado, será possível ao Poder Legislativo acompanhar se o Executivo escolheu a melhor solução para imbróglio chamado ETE. O receio é que as decisões do Executivo levem à perda do convênio.

Prazo final

Pelo que foi apresentado, ainda neste ano a prefeitura romperá o contrato com a construtora responsável e abrirá nova licitação para contratar uma empresa que execute o restante da obra, cerca de 30%, segundo a Secretaria de Obras. O prazo final para a entrega da obra é entre março e abril de 2023.

No escuro

O receio de Losila é que o município perca o convênio feito com o Ministério do Desenvolvimento Regional, que garante o término da obra. "Não existe ainda parecer jurídico do Executivo definindo se a rescisão do contrato e a nova licitação são regulares".

Sem a prefeita

Para Losila, para evitar ainda mais danos à população, pela falta da conclusão da obra, a prefeita Suéllen Rosim (Patriota) deve ser mais eficiente politicamente, mantendo contatos com o Governo Federal, Ministério Público Estadual e Federal. A prefeita Suéllen foi convidada, mas não participou da audiência.

O destaque

Sem dúvida alguma, as audiências públicas têm sido o destaque destes primeiros quatro meses da atual legislatura. Os vereadores estão fazendo uso amplo e irrestrito dessa ferramenta legislativa de averiguação e discussão de temas caros à sociedade. 

Vacinação

As comissões também estão aceleradas. A de Fiscalização e Controle se reuniu na manhã de ontem, em ambientes presencial e virtual, com os representantes da Secretaria de Saúde para prestar esclarecimentos sobre fatos noticiados pelo JC e demais órgãos de imprensa envolvendo a aplicação irregular de vacinas em quatro pessoas da família de uma funcionária terceirizada da Unidade de Saúde da Família (USF) da Vila São Paulo.

Ler matéria completa