Bauru

04/06/2021 - 05h00

Marketing

O empresário Caio Coube, tradicional militante do PSDB em Bauru, achou estranho a forma como o deputado Rodrigo Agostinho (PSB) anunciou a destinação de quase R$ 6 milhões em emendas a Bauru. Postou no Facebook: "Nunca vi nada igual. Emenda parlamentar anunciada através da entrega de 'cheque simbólico', sugerindo uma folha de cheque pessoal do deputado. É o marketing Sem Limites..."

Eu comecei...

E o feriado enseja mesmo redes sociais. O ex-prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB) também foi ao Facebook, ontem, para lembrar que deixou grande parte da reforma do Vitória Régia pronta, após ler no JC notícia da entrega do 'pátio' do parque, feita pelo atual governo. "Muito legal que foi entregue a revitalização da área de convivência do Parque Vitória Régia. Legal também que o atual governo tenha dado continuidade aos projetos e obras que idealizamos para melhoria do nosso cartão postal."

Desabafo...

Umas horinhas antes, o ex-prefeito havia postado o seguinte: "As amizades que se fundam em interesse, por interesse terminam. Como a experiência do poder comprova essa teoria de Mário Sérgio Cortella...". Certamente, o recado tem vários destinatários. A pós vida imediata de prefeito ou político sem poder é essa mesmo. Pura desilusão... A ex-secretária do Planejamento Letícia Kirchner comentou na mesma postagem: 'Verdade. Nada como um dia após o outro para conhecer quem é quem...'.

Farpas

A afirmação do presidente da Emdurb, Luiz Carlos Valle, na semana passada, de que atualmente a empresa sofreria perdas de arrecadação devido a uma decisão judicial que afastou 20% de seus funcionários, após liminar da Justiça do Trabalho, atendendo a uma ação do Sinserm, gerou a manifestação de representante do sindicato.

Às claras

Também em rede social, o advogado do Sinserm, José Francisco Martins, disse que Valle estaria transferindo responsabilidades, "para desviar o foco da ausência de transparência no debate da autarquização da Emdurb!"

Prevenção

"O Sinsem, como representante dos trabalhadores, cumpriu o seu papel de ir ao Judiciário para garantir o direito à vida dos trabalhadores do grupo de risco à Covid, afastando-os das atividades presenciais face a vulnerabilidade desses servidores".

Sem proteção

Na postagem, José Francisco informou que a liminar tinha validade de 30 dias e que continua em vigor, porque a Emdurb "não demonstrou em Juízo a adoção de protocolos seguros de proteção aos trabalhadores tutelados pela decisão judicial".

Ler matéria completa