Bauru

08/06/2021 - 05h00

Rodízio de furtos

Os constantes furtos que continuam ocorrendo em prédios públicos e com frequência em poços do DAE, por exemplo, que deixam bairros inteiros desabastecidos por dias, geraram uma nova interpretação do vereador Júnior Rodrigues (PSD). Para ele, Bauru não tem mais apenas rodízio de fornecimento de água, mas também de furtos de bens públicos.

Com receptação

A afirmação foi feita considerando o aumento das ocorrências e o grande número de empresas de compra e venda de ferro-velho que estariam receptando o material furtado. Júnior também incrementou a ideia dos serviços de entregas, reforçados pela pandemia, já que os estabelecimentos irregulares estariam trabalhando 24h para receber todo o resultado as ações criminosas. Para ele, instalou-se na cidade o drive thru do material furtado.

Disk denúncia

O presidente da Câmara , Markinho Souza (PSDB), sugeriu que a prefeitura crie um canal eficiente para receber denúncias dos locais que compram estes materiais, um disk denúncia com número exclusivo de WhatsApp. "Não é possível que não se identifique ninguém. Quem trabalha corretamente já sabe quem não trabalha, mas a população precisa de um canal de comunicação ágil, rápido e fácil para denúncias", afirmou.

Carlinhos fala!

De pouca fala, mas que não mede palavras quando se posiciona, Luiz Carlos Bastazini (PTB), ou Carlinhos do PS, novamente foi duro com a gestão da prefeita Suéllen Rosim (Patriota). "A prefeita não está nem aí com a população. O povo morrendo na UPA e ela dando entrevista com o (ministro Marcos) Pontes". Para o vereador, a situação da Saúde em Bauru apenas se agrava com o tempo. "Só trocou o melado, as moscas são as mesmas".

CEI da Água

Ontem, a CEI da Água, que apura a execução do Plano Diretor de Água (PDA), promoveu a sétima reunião de trabalho e a quarta rodada de oitivas, ouvindo desta vez o diretor-presidente da Hidrosan Engenharia, responsável pela elaboração do PDA em 2014, Luiz Di Bernardo.

Hidrômetros

O principal apontamento do engenheiro foi a necessidade da instalação de um parque hidrométrico, como forma de monitorar e manter os medidores, evitar a perda d'água e manter a arrecadação tarifária adequada. A previsão no PDA era de que 100 mil hidrômetros fossem trocados no período de um ano, o que não foi executado.

Ausência

A empresa concessionária dos serviços de água e esgoto sanitário de Limeira, BRK Ambiental, foi convidada para a audiência desta segunda, mas não compareceu e também não justificou a ausência. A próxima audiência será no dia 17 de junho.

Ler matéria completa