Bauru

13/07/2021 - 05h00

VERBO SOLTO

O vereador Eduardo Borgo (PSL) desabafou, na sessão da Câmara de ontem, sobre duas polêmicas nas quais está envolvido: a indicação de título de Cidadão Bauruense ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e uma apuração na Comissão de Ética da Câmara. O desabafo ratificou o que já se antevia: o distanciamento belicoso com o presidente da Câmara, Markinho Souza (PSDB).

COSTURA

Sobre o título acima, uma virtual solução está adiantada, com a entrada na pauta da proposta do vereador Coronel Meira (PSL), que veda a entrega do título a pessoas que estejam exercendo mandato eletivo nas esferas federal, estadual e municipal. A costura andou e o Projeto de Resolução de Meira deve ser votado antes da proposta de Borgo. Porém, Borgo antecipou que sua proposta estará na pauta da manifestação de apoio a Bolsonaro, prevista para o próximo final de semana.

TERCEIRA VIA

Na exposição de motivos, Meira alega que o objetivo da proposta é "revitalizar a concessão", vedando-a a políticos em exercício em todas as esferas federativas para "desvincular ações políticas de ações pessoais prestadas em benefício ao município". O certo é que a iniciativa pode evitar uma saia justa para Borgo, que não contaria, segundo os bastidores, com os votos necessários para aprovar a outorga.

JUSTIFICATIVA

Além de assinar o pedido de apuração por suposta quebra de decoro de Borgo, Markinho se posicionou publicamente contrário à entrega do título ao presidente, o que incomodou Borgo, que justificou a indicação do título pelo apoio do Governo Federal aos municípios, em função da pandemia. Para ele, contudo, a postura do presidente destoa de seu cargo público. "Só acho que um chefe de Poder deveria ter um pouco mais de cuidado em suas manifestações".

ELEITORES

Em aparte a Borgo, o presidente da Mesa disse que, sobre a Comissão de Ética, se manifestaria apenas durante o processo, mas que sua manifestação contra o título a Bolsonaro era pessoal. "Foi uma resposta aos meus eleitores", alegou Markinho, que usou um adesivo colado no veículo de Borgo, no qual pede a renúncia do governador Doria para defender sua posição pessoal. "A gente vê toda a região recebendo recursos do governo do Estado e Bauru ficando para trás, mas entendo que é uma manifestação de vossa excelência", comparou.

NADA CERTO

A troca temporária de ocupantes da cadeira do Cidadania na Câmara sofreu uma mudança. O vereador Beto Móveis afirmou ontem que ainda não é certa, como se noticiou, a mudança anunciada na semana passada, mesmo confirmando que o partido estuda a possibilidade, que foi discutida em reunião com integrantes da direção partidária.

Ler matéria completa