Bauru

11/09/2021 - 05h00

Lei do Cerrado

Funcionários da Tilibra acompanharam a audiência pública do orçamento do Estado, realizada nesta sexta-feira (10), na Câmara de Bauru, e perguntaram ao deputado estadual Dirceu Dalben (PL) sobre as mudanças na Lei do Cerrado. O deputado afirmou que está empenhado em ajustar a legislação para resolver o impasse da Tilibra e, assim, garantir o emprego de seus colaboradores, e de outros setores que também dependem da flexibilização da lei.

R$ 24 milhões

Na audiência promovida pela Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Assembleia Legislativa, por meio de uma participação remota o vereador Eduardo Borgo (PSL), voltou a cobrar do governo estadual a devolução de R$ 24 milhões da Saúde de Bauru, que teriam sido contingenciados, e criticou a postura dos deputados por terem, segundo ele, dado um cheque em branco para o governador fazer um empréstimo de R$ 8 bilhões, e ainda questionou a efetividade das audiências para garantir o atendimento das demandas dos municípios no orçamento.

Não engoliu...

Antes de encerrar a audiência, o deputado Dirceu Dalben (PL) afirmou que o Estado de São Paulo é o único que possui em sua Constituição o repasse de 30% para a Saúde, sendo que no país o mínimo previsto em lei é 25%. Sem nomear o vereador, referindo-se apenas a alguém que participou de forma online, o deputado negou apoio da Assembleia para empréstimo feito pelo governador. "Não existe isso, tem pessoas que falam o que querem e depois tem que voltar atrás, como vimos recentemente...".

Cidades em pé

"Na verdade, o Estado teve a colaboração da Assembleia, que reduziu seu gasto para ajudar na arrecadação. O próprio Estado fez sua adequação, e o povo paulista, na pandemia, usou de sua criatividade para não parar o comércio, o comércio digital cresceu muito na pandemia porque o povo paulista manteve as cidades em pé e a arrecadação se manteve, isso é que foi superávit", disse o deputado.

Quem se habilita?

O governo estadual lançou há alguns dias o programa Desenvolve Municípios para fomentar ações de crescimento econômico em todo o Estado. R$ 1 bilhão serão destinados em financiamentos com condições especiais e juros subsidiados às prefeituras para implantar projetos na área de infraestrutura urbana. Estão envolvidos na ação diretamente as secretarias da Fazenda e Planejamento e de Desenvolvimento Regional e o banco Desenvolve SP. Será que a Prefeitura de Bauru tem alguma interlocução com o governo para buscar recursos?

Ler matéria completa

×