Bauru

09/10/2021 - 05h00

De saída

Uma informação rodou consultórios, gabinetes e salas de prefeituras de várias das 68 cidades que integram a Diretoria Regional de Saúde de Bauru - DRS 6, após circularem informações sobre a saída da diretora Doroti da Conceição Vieira Alves Ferreira, que deixará a regional a partir da semana que vem. A diretora vai entrar em férias e não mais retornará ao cargo.

Referência 

Conforme a coluna apurou, a saída de Doroti foi comentada durante toda a sexta-feira (8), principalmente entre gestores e secretários de saúde, uma vez que sua imagem era muito marcante como representante da Secretaria de Saúde do Estado, e sua diretoria era endereço de muitos secretários, diretores e prefeitos sempre que precisavam de um socorro nesta área para seus municípios.

Para Jaú?

Embora tenha confirmado a informação, a diretora não deu detalhes das razões que levaram à decisão. Porém, segundo apurou a coluna, no meio político de Bauru e na região já havia a informação de que, mesmo antes do início da pandemia, já havia por parte da diretora a intenção de deixar o cargo vago para que outra pessoa assumisse. Informação não oficial é de que Doroti assumiria a Santa Casa de Jaú.

Quem fica?

Em mais de uma década no cargo, a última vez que a diretora Doroti se afastou foi durante a passagem de Márcio França (PSB) pelo Governo do Estado, por um período de oito meses, em 2018, até as eleições de João Doria (PSDB), quando retornou à função. Até o fechamento desta edição, a DRS 6 não havia informado quem deve assumir a diretoria.

De volta

Decreto do último dia 30, no Diário Oficial de Bauru, determinou que todos os servidores da administração direta e indireta do município que tivessem sido imunizados com duas doses de qualquer vacina contra a Covid-19 deveriam retomar suas atividades presenciais, a partir desta semana. Segundo a prefeitura, a partir do dia 4 passado, dos 351 servidores que estavam no chamado teletrabalho, 134 retomaram atividades totalmente presenciais, mantendo os protocolos de segurança. 

balanço

Do total, 4 secretarias não tinham nenhum servidor em teletrabalho, justamente pelas funções que exercem na Semel, Sear, Semma e Sagra. Já as secretarias com maior número de servidores afastados eram Educação (82), Cultura (82) a Administração (41), que tiveram de volta às atividades presenciais, respectivamente, 24, 16 e 31 servidores. No Jurídico, dos 38 servidores que estavam em teletrabalho, todos retornaram após o decreto. As demais secretarias que continuam com servidores afastados são Seplan (8), Saúde (7), Gabinete (8) Obras (1) e Sebes (1).

Ler matéria completa

×